PM critica Santos e chama Cuca de irresponsável por intervir em ação

Técnico se envolveu com policiamento no Pacaembu para ajudar torcedor (Foto: Marco Galvão/Fotoarena)

PM critica Santos e chama Cuca de irresponsável por intervir em ação

Técnico se envolveu com policiamento no Pacaembu para ajudar torcedor (Foto: Marco Galvão/Fotoarena)

A Policia Militar do Estado de São Paulo emitiu uma nota oficial na tarde desta quarta-feira criticando a postura do Santos diante da ação no Pacaembu na última terça, no jogo contra o Independiente, pela Copa Libertadores. Os torcedores jogaram bombas, tentaram invadir o gramado e entraram em confronto com a PM.

Você já viu o novo app do Yahoo Esportes? Baixe agora!

O técnico Cuca foi chamado de irresponsável pelos profissionais. Ele se envolveu na ação policial para defender um torcedor que recebeu um mata-leão e pediu ajuda ao comandante, que tentou evitar a agressão.

- Quando eu estava saindo de campo, um torcedor tentou invadir, policiais prenderam. Tentei tirar a gravata que o policial deu nele, ele estava desesperado. Falei que estava matando o menino. Faria por qualquer pessoa, força exagerada demais. Violência gera violência. Os torcedores do lado viram. Ficaram revoltados. Está errado invadir o campo, mas não precisa ser feito assim. Não levei porrada. Só fui tentar acalmar uma situação. Enfim, já passou. Respeito e muito o trabalho da polícia - disse o técnico após o jogo em coletiva de imprensa.

O jogo acabou aos 38 do segundo tempo por falta de segurança. O Peixe acabou eliminado em um empate por 0 a 0. O time foi punido pela Conmbol por escalar Carlos Sánchez de forma irregular e o placar foi revertido para 3 a 0 no jogo de ida das oitavas de final da Libertadores, na Argentina.

Confira a nota da Policia Militar na íntegra:

Nota de esclarecimento

Interferência de técnico e jogadores em ação policial no Pacaembu

A Polícia Militar lamenta a tentativa irresponsável de interferência do técnico e de alguns jogadores do Santos Futebol Clube, durante ações técnicas do policiamento de choque para conter invasão de torcedores da equipe ao gramado do Pacaembu, na noite desta terça-feira (29).

Espera-se desses profissionais uma atitude oposta, no sentido de não incentivar os atos praticados pelos torcedores, facilitando o trabalho dos policiais militares, que estavam ali para garantir e manter um ambiente seguro para todos, incluindo os próprios jogadores, comissão técnica e torcedores.

Atitudes como estas podem provocar uma reação em cadeia e uma invasão generalizada ao gramado, o que poderia resultar numa tragédia.

É importante ressaltar que os policiais militares empregados neste tipo de contenção são todos atletas altamente capacitados e treinados em artes marciais, justamente para imobilizar pessoas em conduta antissocial, sem lhes causar ferimentos ou qualquer tipo de sequela.

Lembramos que a segurança num estádio de futebol é responsabilidade de todos: policiais militares, torcedores, jogadores, integrantes da comissão técnica, arbitragem, imprensa e outros profissionais envolvidos.

São Paulo, 29 de Agosto de 2018.

Centro de Comunicação Social da Polícia Militar

Leia mais:
Bem nos EUA, Ilsinho curte ‘clima familiar’ de torcida
Löw nega racismo na seleção da Alemanha
'Espero sentir orgulho', diz Bolt sobre estreia no futebol

Leia também