Pliskova vence Sabalenka e vai enfrentar Barty na final de Wimbledon

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 minuto de leitura
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Karolina Pliskova, 13ª do ranking mundial, eliminou nesta quinta-feira a bielorrussa Aryna Sabalenka (4ª), vencendo de virada com parciais de 5-7, 6-4, 6-4, e enfrentará, em sua primeira final em Wimbledon, a número 1 do mundo, a australiana Ashleigh Barty.

A tcheca, ex-líder do ranking, havia sido eliminada nas oitavas de final nas duas últimas edições do tradicional torneio britânico disputado na grama. Ela já chegou à final do US Open em 2016.

"É uma loucura... até então não tinha passado das oitavas", vibrou a tenista de 29 anos, após a partida.

Sabalenka "sacou muito bem e estou super feliz por ter continuado no jogo e ter vencido", acrescentou a tcheca.

De fato, no primeiro set, Sabalenka ficou em dificuldades com mais frequência, tendo que salvar oito break points, mas foi ela quem conseguiu o único break do set, na única oportunidade, em seu primeiro break point.

Mas nos dois sets seguintes, Pliskova assumiu o controle no início do set (2-2 no segundo set e entrando no terceiro) para não mais abrir mão da vantagem apesar dos golpes poderosos da bielorrussa.

"As bolas iam tão rápido às vezes que não tínhamos tempo para pensar no que fazer", brincou Pliskova.

Por sua vez, Sabalenka teve seu melhor percurso em Grand Slams até o momento em Wimbledon, já que aos 23 anos ela nunca havia passado das oitavas de final de um 'Major'.

- Barty elimina Kerber -

Mais cedo, Ashleigh Barty, número 1 do mundo, se classificou para sua primeira final de Wimbledon ao vencer a alemã Angelique Kerber (28ª e campeã do torneio em 2018) por 6-3 e 7-6 (7/3).

"É incrível, foi a melhor partida de tênis que já joguei", disse Barty, que disparou oito aces e 38 winners. "Foi uma partida e tanto desde a primeira bola."

"Estou muito orgulhosa de mim mesma e farei de tudo no sábado para vencer o torneio. Jogar esta final, será a maior experiência da minha vida", acrescentou.

Barty havia sido eliminada nas oitavas de final de Wimbledon em 2019, poucas semanas depois de seu triunfo em Roland Garros, o único título de Grand Slam em sua galeria até agora.

Contra Kerber, ela começou se impondo e abriu 3-0. A alemã de 33 anos reagiu mas não conseguiu alcançá-la.

Mas foi ela quem conseguiu o quebrar o serviço no início do segundo e abrir a vantagem de 3-0. E no momento em que o segundo set parecia que seria uma cópia do primeiro, desta vez a favor da alemã, Barty mudou o cenário, quebrando o serviço da adversária.

Kerber chegou a ficar na frente em 6-5, mas Barty emendou dez pontos consecutivos forçando o 'tie break' e fez 6-0, com seis match points. Kerber salvou três, mas acabou perdendo no quarto.

A tenista alemã, ex-número 1 do mundo e vencedora de três Grand Slams (Aberto da Austrália e dos Estados Unidos em 2016, Wimbledon em 2018), tem o consolo de ao menos ter renascido nesta edição de Wimbledon, após suas eliminações na primeira rodada em fevereiro no Aberto da Austrália e em junho em Roland Garros.

ig/dep/aam

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos