Placar é o de menos: garotada do Fluminense foi muito bem enquanto teve fôlego

Nathalia Almeida
·2 minuto de leitura

Ninguém gosta de perder e inaugurar uma temporada com derrota certamente não é o enredo dos sonhos, mas o torcedor do Fluminense não tem motivos para ficar cabisbaixo com o revés por 2 a 1 para o Resende, na noite da última quinta-feira (4), em partida válida pela 1ª rodada do Campeonato Carioca de 2021.

Além dos graves erros de arbitragem que prejudicaram o Tricolor Carioca - um gol legal anulado por impedimento e um pênalti indiscutível não marcado -, a atuação do time das Laranjeiras, recheado de garotos, definitivamente não foi para derrota: teve bom volume de jogo, criou inúmeras chances agudas e mostrou grandes virtudes mesmo com uma formação de pouquíssimo entrosamento, montada em pouco tempo e com jovens de diversas categorias para a disputa das primeiras rodadas do Estadual. Faltou fôlego e capricho nas conclusões, mas o saldo é muito positivo. E o Carioca serve justamente para isso: testar opções e dar cancha para jovens que querem e precisam mostrar seu valor.

Vitória não veio, mas garotos do Fluminense foram bem | André Melo Andrade/MyPhoto Press/Gazeta Press
Vitória não veio, mas garotos do Fluminense foram bem | André Melo Andrade/MyPhoto Press/Gazeta Press

Individualmente, destaque para as atuações do volante André e dos meias Gabriel Teixeira e Miguel, os grandes nomes da partida pelo lado do Fluminense. Os armadores tricolores estiveram em uma ótima noite, chamando jogo, se movimentando bastante e descolando belos passes para os homens de frente da equipe. André, por sua vez, foi implacável na contenção enquanto teve gás e ainda chamou atenção pela qualidade no apoio, pisando bastante na área adversária e acertando uma bela finalização na trave. Provou que o Tricolor tem, em casa, dois prospectos espetaculares para a posição (ele e Martinelli), o que aumenta o questionamento do torcedor sobre a necessidade da iminente contratação do veterano Wellington, ex-Athletico.

Quem destoou do restante do time foi justamente o jogador mais experiente em campo: Frazan. Portando a braçadeira de capitão do time, o zagueiro cometeu erros primários que culminaram nos gols do Resende. Em que pese a falta de ritmo do defensor e o evidente cansaço de todo o time tricolor nos minutos finais, trata-se de um nome/posição para o clube ficar de olho.

Ainda com seus garotos, o Fluminense volta a campo já no próximo domingo (7), quando encara a Portuguesa no Maracanã.