Pivô da seleção de futsal se inspira em Jordan e lança seu documentário

·3 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A pandemia da Covid-19 começara havia pouco tempo, e Jean Pierre Guisel Costa, o Pito, estava trancado em casa em Madri ao lado da mulher, Camila Schiavo. Algumas semanas depois, em abril de 2020, foi lançado "The Last Dance", o documentário em 10 episódios sobre a carreira de Michael Jordan.

O pensamento do brasileiro foi imediato: por que não fazer um filme sobre si mesmo?

"Todo mundo que viu o documentário do Jordan achou incrível. Ele guardou as imagens da sua época e lançou a série quando estava todo mundo em casa. Eu treinava todos os dias, estávamos em lockdown e falei para mim mesmo: vou me gravar", afirma o pivô da seleção brasileira de futsal.

Pito, 29, estará em quadra quando o Brasil estrear na Copa do Mundo de futsal, nesta segunda-feira (13), às 14h (de Brasília), contra o Vietnã. O jogo será transmitido pelo SporTV. O torneio é disputado na Lituânia.

O projeto ficou maior do que ele mesmo esperava. Uma produtora assumiu o roteiro, a edição e montagem. "A Resposta" foi lançado na conta do jogador no Instagram (@jpitoo). São quatro capítulos com cerca de 20 minutos cada um.

"Se o Brasil for campeão mundial, teremos um quinto episódio", adiantou o atleta, que tem gravado a preparação brasileira e fará o mesmo durante a Copa do Mundo.

A competição seria disputada em 2020 e foi adiada pela Fifa para este ano por causa da pandemia. Deu mais tempo para Pito fazer imagens e tornou-se mais do que algo apenas sobre os seus treinos para o torneio. Virou registro sobre a carreira do atleta que estava no Inter Movistar, de Madri, e se transferiu nesta temporada para o Barcelona.

Ele se beneficiou da maior informalidade do futsal, ambiente em que é possível registrar vídeos de bastidores com muito mais facilidade e sem restrições. Reconhece que se fosse no futebol seria muito mais difícil.

No início, por via das dúvidas, Pito não falou sobre o projeto abertamente. "Só comentei com a minha esposa, que mora comigo. Não contei para minha mãe, família, amigos...Ninguém."

Pito, apelidado assim por ser o menor de sua classe na escola quando criança, sabe que pode soar pretensioso. Um documentário em quatro episódios inspirado em Michael Jordan? O brasileiro não vê assim e nem está preocupado com isso. Ele simplesmente sentiu vontade de fazer e fez.

"Na minha cabeça, eu tenho potencial para realizar isso. Tenho nível bacana, posso estar na seleção e as coisas estavam acontecendo. Tenho material. Quando começou a chegar mais perto [da Copa do Mundo], comecei a espalhar a ideia e todo mundo ficou surpreso, mas acharam muito bacana. Ninguém imaginava que eu tinha tantas imagens", lembra o jogador.

O pivô vem de uma família de jogadores. Seu pai, Jackson Costa, foi meia com passagens por times do interior no futebol de campo. O irmão, Jan, atuou nas categorias de base do Internacional e da Chapecoense, mas abandonou o esporte após cirurgia no joelho.

Até então, Pito não levava o futsal tão a sério. Com a bola, era consenso em Chapecó, onde a família morava, que bom mesmo era Jan.

O caçula, então com 20 anos, virou a aposta da família. Ele também é esperança para a seleção brasileira, que tem cinco títulos mundiais mas foi eliminada na última Copa, em 2016, pelo Irã nas oitavas de final. A campeã foi a Argentina. Isso fez o técnico Marquinhos Xavier ressaltar que o Brasil "não manda mais" no futsal mundial.

"Nós somos um dos favoritos e temos alguns dos melhores jogadores do mundo. Mas o Brasil não ganha mais com o nome, como ganhava antigamente. Antes, a gente ia jogar com a Argentina e era 15 a 0, 15 a 1... Hoje a Argentina é campeã mundial", lembra Pito.

A seleção brasileira está no grupo D, com Vietnã, Panamá e República Checa. Avançam os dois primeiros colocados, e o terceiro também pode se classificar pela repescagem. A final está marcada para 3 de outubro. Se tudo der certo, o quinto episódio do documentário de Pito será lançado algumas semanas depois.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos