Pirelli afirma que descobriu sobre recapeamento na pista do GP da Turquia muito tarde

Adam Cooper
·3 minuto de leitura

se soubesse a tempo que a pista estava sendo recapeada.

A Pirelli soube do plano de reasfaltamento na abrasiva pista de Istambul várias semanas depois de se comprometer com seus três compostos mais duros.

Leia também:

F1: Hamilton chama pista do GP da Turquia de ‘aterrorizante’: “Parece uma superfície de gelo” SEXTA-LIVRE: Os destaques dos treinos bizarros da F1 no ‘sabão’ da Turquia e as últimas da categoria F1: Pirelli está investigando vibração no pneu traseiro de Hamilton em Ímola

Depois de um dia em que todos os pilotos tiveram dificuldades na nova superfície escorregadia, Isola disse que a Pirelli teria dado um passo mais suave, potencialmente dando aos pilotos mais chance de encontrar aderência ao longo do fim de semana.

A Pirelli não sabia sobre a mudança de superfície planejada, apesar de ter fortes conexões com a Turquia, onde tem uma fábrica não muito longe do circuito.

"Obviamente, tivemos informações sobre o recapeamento da pista bem tarde", disse Isola.

“Esperava uma pista mais parecida com a de Portimão, onde tínhamos asfalto liso, com betume por cima e os pneus conseguiam manter alguma aderência.

“Em vez disso, aqui não tivemos aderência, provavelmente uma combinação entre a temperatura, o fato de estar úmido, o tipo de asfalto e da seleção que é bastante difícil, a mais difícil que poderíamos ter.

Sobre a decisão de recapeamento, disse: “Creio que foi uma escolha tomada de forma bastante tardia. Estamos bem ligados à FIA em situações normais e nas outras pistas costumávamos ter a informação com antecedência. Este ano foi um pouco mais difícil.”

“Talvez a informação não tenha sido tão clara com os novos promotores locais. Mas o resultado é que recebi a informação de que o plano era fazer uma nova pista, creio eu, há quatro semanas, pouco antes do início das obras na pista”.

"Não é um drama, na minha opinião, porque é um desafio adicional para os pilotos. E é um pouco imprevisível para os engenheiros. Então, quando você tem esse tipo de situação, às vezes você tem uma corrida ainda melhor."

Isola frisou que não houve tempo para mudar a escolha do composto, pois os pneus com destino a Istambul já estavam no sistema.

“Quatro semanas não foram suficientes para mudarmos a alocação, basicamente nós já tínhamos produzido os pneus, e os pneus estavam em transporte para a Turquia”

“Então, mesmo que tenhamos a fábrica que fica bem perto, daqui a meia hora, não conseguimos a informação.

“O que fizemos foi que nossos colegas da fábrica turca nos ajudaram a medir o asfalto assim que terminaram o recapeamento do circuito. Temos um asfalto muito liso, tanto macro rugosidade, quanto micro rugosidade.

“Nós medimos novamente ontem, números um pouco diferentes, mas novamente, não um asfalto como conhecíamos em Istambul. Basicamente, nossa decisão sobre a alocação foi baseada no layout do circuito, na gravidade, na curva 8 e blah, blah , blá, mas também no tipo de asfalto.

"Então, é claro que agora a seleção é um pouco difícil para este circuito."

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1, MotoGP e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

Hamilton despista sobre Rosberg, analisa Bottas e ‘esquece’ Alonso; assista e entenda

PODCAST: O calendário 'pós-pandemia' da F1 2021 é o mais correto? Ouça o debate

Your browser does not support the audio element.

.