Piqué "se equivocou" em críticas ao Real, afirma dirigente espanhol

Gerard Piqué, do Barcelona

O presidente da Liga Espanhola, Javier Tebas, considerou nesta quarta-feira que Gerard Piqué, zagueiro do Barcelona, "se equivocou" em suas declarações sobre o Real Madrid, enquanto Jordi Cardoner, vice-presidente do Barça, afirmou que o jogador "não mentiu".

"Considero que se equivocou, não vou valorizar se é grave ou não", declarou Tebas em coletiva de imprensa nesta quarta-feira, ao ser perguntado sobre as declarações anti-Real Madrid de Piqué, ná véspera do amistoso entre Espanha e França (2-0).

"Não acredito que gere violência, mas gera uma irritação que estava quieta", completou o presidente da Liga.

"Jamais trabalharia para o Real Madrid. Eu não gosto dos valores do Real Madrid, mas considero os jogadores que vestem a camisa do Real Madrid meus amigos e gosto deles. O problema com o Real é que não gosto de ver no palco, por exemplo, as personalidades que lá estão e como movem os pauzinhos neste país", havia criticado Piqué.

"Me refiro, por exemplo, à pessoa que condenou Neymar e (Lionel) Messi. Com Cristiano (Ronaldo), o trato é diferente e essa pessoa estava do lado de Fiorentino (Pérez, presidente do Real Madrid). Mas isso é assim desde sempre", continuou o zagueiro.

Ao ser perguntado se estava se referindo à advogada e jurista Marta Silva, ex-advogada-geral do Estado, Piqué respondeu: "Exatamente".

- 'Ele não mentiu' -

Piqué "não mentiu e o clube estará sempre ao lado da verdade, ou seja, ao lado de Piqué", declarou nesta quarta-feira o vice-presidente do Barcelona, Jordi Cardoner, afirmando que o jogador "expressou uma opinião, livre. Somos a favor da liberdade de cada uma das pessoas que fazem parte deste clube e, para mim, ele não faltou com o respeito a ninguém".

As acusações do zagueiro foram respondidas nesta quarta-feira pela associação de advogados do Estado, que afirmou que Silva não interveio nos processos judiciais de Neymar e Messi enquanto ocupou o cargo de advogada-geral do Estado.

Neymar ainda está sendo julgado, enquanto Messi foi condenado a 21 meses de prisão, ambos por envolvimento em fraude fiscal. O atacante argentino recorreu da decisão.

"Estou convencido e já falei isso diversas vezes. Espero que o Tribunal absolva Messi, acredito que não cometeu delito neste momento, assim como considero que Cristiano Ronaldo também não cometeu, então vamos ter paciência e torcemos para que o Tribunal absolva Messi", declarou Tebas.

Cristiano Ronaldo viu seu nome ser envolvido no escândalo 'Football Leaks', no qual foi acusado de ter escondido "150 milhões de euros em paraísos fiscais". O português negou as acusações.