Pimenta é nomeado e CA do São Paulo tem primeira reunião

Bruno Grossi

Aos poucos, o novo São Paulo vai ganhando forma de acordo com o estatuto formulado no fim do ano passado e com as definições da eleição de abril. Nesta quarta-feira, por exemplo, o recém-criado Conselho de Administração fará a primeira reunião, já com a presença do último escolhido para o órgão: José Eduardo Mesquita Pimenta.

Derrotado por Carlos Augusto de Barros e Silva no pleito presidencial e mandatário do Tricolor entre 1990 e 1994, Pimenta foi o indicado pelo Conselho Consultivo para formar o CA após votação na noite de terça-feira.

Havia dúvida sobre a legalidade da escolha, já que o regimento do clube falava em impedir que uma pessoa concorresse a dois cargos na mesma eleição, mas o conselho consultivo interpretou que a regra só poderia ser aplicada caso Pimenta tentasse entrar no CA via votação no conselho deliberativo, por onde entraram Adilson Martins, Silvio Médicis e Julio Casares.

O CA ainda conta com o presidente Leco e seu vice, Roberto Natel, como representantes diretos e remunerados do São Paulo. E são esses que estarão reunidos nesta quarta para definir as diretrizes do órgão e aprovar os três nomes já indicados para membros independentes do CA: o ídolo Raí, o empresário Julio Conejero e o secretário do governo de São Paulo, Saulo de Castro Abreu.

Com o trio aprovado, uma nova reunião está prevista para sexta-feira, quando o Conselho de Administração será inaugurado oficialmente, com cerimônia de posse para os integrantes. Depois disso, os diretores executivos serão nomeados, com o mínimo de três remunerados e o máximo de nove. Dois dos remunerados devem ser Vinicius Pinotti, no futebol, e Marcio Aith, na pasta de comunicação e marketing.

Elias Barquete Albarello, no financeiro, Carlos Belmonte Sobrinho, no social, e o ex-diretor de futebol José Jacobson Neto, para relações institucionais, também estão bem cotados, mas ainda não há definição sobre o formato da inclusão. Se forem remunerados, precisarão abrir mão temporariamente do conselho deliberativo. Caso desistam do cargo executivo é preciso passar por quarentena fora do clube antes de voltar ao posto de conselheiro.









E MAIS: