Pilotos cobram mais consistência da Direção de Prova da MotoGP

Lewis Duncan
·3 minuto de leitura

A punição dada a Johann Zarco devido ao acidente com Franco Morbidelli no GP da Áustria dividiu o pitlane da MotoGP. Alguns dos principais pilotos do grid cobraram mais consistência da direção de prova do Mundial depois de não apenas esse incidente como também outros que aconteceram durante a rodada dupla no Red Bull Ring.

No GP da Estíria, punições dadas a pilotos da Moto2 por abuso do limite de pista foram questionadas, com muitos pilotos afirmando que Jorge Martin não teve nenhuma vantagem sobre Marco Bezzecchi. O espanhol perdeu a vitória devido à punição.

Leia também:

MotoGP: Rossi volta a lamentar déficit de velocidade da Yamaha MotoGP: Chefe da Tech3 diz que "subestimado" Oliveira calou críticos com vitória Equipes da F1 e da MotoGP "oferecem" vaga a Messi após rumores de saída do Barcelona

Como o evento que causou a penalidade aconteceu na última volta da prova, a pena automática é a perda de uma posição - e alguns sentiram que Bezzecchi também deveria ter sido penalizado por ter saído da pista no mesmo lugar.

O debate sobre limite de pista voltou à tona após a prova da MotoGP, com Joan Mir, da Suzuki sentir que Pol Espargaró também deveria ter perdido o terceiro lugar devido à última curva, no embate com Jack Miller.

O painel atual de fiscais da MotoGP foi montado em 2016 após o polêmico toque entre Valentino Rossi e Marc Márquez no GP da Malásia de 2015, com o bicampeão das 500cc Freddie Spencer liderando o grupo de três pessoas desde o ano passado.

"Eu sei que o trabalho deles não é fácil, mas não tenho confiança nos fiscais", disse Zarco na sexta após sua punição ter sido anunciada. "Não acho que são as pessoas certas para esse trabalho".

Aleix Espargaró, da Aprilia, admitiu que o trabalho deles não é fácil, mas sente que há muito que precisa ser melhorado.

"Tenho muitas dúvidas sobre o painel de fiscais, acho que podemos melhorar em muitas questões. Não concordo com várias decisões, mas não depende de mim".

"Certamente eu entendo que não é fácil para eles, mas para mim também não é fácil colocar a Aprilia no Top 10. Não é fácil para meus engenheiros. É difícil para todos, então acredito que temos como melhorar".

Danilo Petrucci, da Ducati, acrescentou: "A maioria de nós está infeliz com os fiscais porque eles não aplicam as mesmas medidas a todos. Há uma grande diferença entre as punições a pilotos da Moto3 e da MotoGP".

Seu companheiro de Ducati, Andrea Dovizioso tem sido um crítico recorrente das regras de limite de pista e sente que o modo de aplicação dos regulamentos pelos fiscais é "estranho".

"Eu falei muito sobre isso na Comissão de Segurança para tentar mudar as regras de saída de pista. A última curva [do GP da Estíria] foi uma situação diferente, porque Miller empurrou Pol para fora".

"Mas a maneira que eles lidam com as regras é estranho porque, na minha opinião, você tem que imaginar que, se há brita onde na verdade existe grama, tudo muda. Toda manobra muda, tudo muda para os pilotos".

"Então eu não concordo com isso, mas agora temos que correr sob essas regras".

TELEMETRIA: Ferrari descobre problema de Leclerc e Renault ‘tira o pé’ contra Racing Point

PODCAST Motorsport.com debate qual seria o calendário ideal da Fórmula 1; ouça

 

Your browser does not support the audio element.

SIGA NOSSO PODCAST GRATUITAMENTE:

Spotify Deezer  Apple Podcasts Google Podcasts