Petraglia lembra de 2019 para eliminar o Fla, novamente. Nikão vai embora em dezembro

·2 minuto de leitura
Mario Celso Petraglia está no Athletico, desde 1996. Foto: Heuler Andrey/AGIF

O Athletico está na final da Copa Sul-Americana pela segunda vez, em três anos. O time conquistou o título em 2018 e agora fará a decisão contra o Red Bull Bragantino. O crescimento do clube foi vertiginoso e planejado, desde 1996. Para muitos atleticanos, o responsável por isso tem nome: Mário Celso Petraglia. 

Em 2017, o presidente fez uma previsão de que até 2024, o Furacão poderá ser campeão do mundo. Claro que foi uma analogia com a expansão do rubro-negro paranaense. De lá para cá, título da Sul-Americana e da Copa do Brasil, onde o Athletico está nas semifinais diante do favorito Flamengo, sem assustar o dirigente.

Leia também:

"Já eliminamos em 2019. Se você perguntar para a imprensa nacional, 99,99% vai dizer que não vamos conseguir. Não esqueçamos que esse esporte é futebol. É jogado com os pés, o homem não se desenvolveu na sua coordenação motora para esse esporte, não chega a perfeição. Não se garante que A ou B, vença ou empate, 100%", afirmou Petraglia, em entrevista à Rádio Bandeirantes, com a presença do blog

Petraglia ainda falou sobre as reuniões de dirigentes sobre a Liga de Clubes e a tentativa de agressão ao presidente do Bahia, Guilherme Belintani, num desses encontros.

"Se circo for espetáculo, é cobrir com lona e cobrar ingresso(sobre os encontros). Veja, isso aí já passou. Vou usar aquilo que os jogadores falam. São problemas que surgem no calor do jogo. Fica dentro das quatro linhas, o que aconteceu lá ficou para trás, é bola para frente, temos que pensar no futuro. No calor de um jogo, a gente diz coisas, dá pontapé, é expulso, mas fica tudo lá dentro. Não temos que comentar isso", resumiu. 

As partidas do Furacão nas semifinais da Copa do Brasil, decisão da Sul-Americana e restante da Série A do Brasileiro também marcarão a despedida de Nikão, alçado a condição de ídolo atleticano, com contrato a terminar em dezembro.

"Hoje, recebi a visita dele e da sua esposa, depois da classificação. Ele é agradecido por eu ter acreditado neste menino, que se transformou no homem e jogador maravilhoso que é. Disse a ele que o meu maior sonho é que ele continue conosco. Agora, para nós a fila anda, para ele é a vida dele, o coração, a família dele. Ele tem que resolver por ele, que tem propostas melhores, se quer jogar no exterior. Se é isso que seu coração manda, ele terá o meu apoio", concluiu. 

Aos 29 anos, Nikão virou o principal nome da equipe, nos últimos anos. Corinthians, São Paulo e clubes do exterior têm interesse na sua contratação. Até o momento, Nikão disputou 291 jogos e marcou 44 gols, desde 2015. 

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos