Pesquisas iniciais encontram remédio que pode diminuir risco de morte por coronavírus

Yahoo Notícias
Estudos feitos por cientistas da Universidade de Oxford podem ter encontrado o primeiro remédio que, comprovadamente, diminui risco de morte em pacientes com Covid-19 (Foto: Getty Creative)
Estudos feitos por cientistas da Universidade de Oxford podem ter encontrado o primeiro remédio que, comprovadamente, diminui risco de morte em pacientes com Covid-19 (Foto: Getty Creative)

Uma pesquisa feita por cientistas britânicos na Universidade de Oxford mostra que pode haver um medicamento eficaz no tratamento de pacientes com coronavírus em estado grave. Os dados ainda são preliminares, mas o estudo mostra que um corticoide comum, que é barato e de fácil acesso.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

E nos siga no Google News:

Yahoo Notícias | Yahoo Finanças | Yahoo Esportes | Yahoo Vida e Estilo

De acordo com o portal G1, um dos líderes do estudo, Martin Landray, explicou que os resultados preliminares mostram que o medicamente diminui o risco de morte em pacientes com complicações respiratórias graves. Landray é professor de medicina e epidemiologia do Departamento de Saúde da População da Universidade de Oxford.

O estudo foi feito com mais de seis mil pessoas, entre elas 2 mil receberam o medicamento. Os resultados foram comparados com outras 4 mil pessoas que passaram pelo tratamento convencional.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Os resultados mostram que, para pacientes em aparelhos respiradores, o risco de morte cai de 40% para 28%. Os infectados pelo coronavírus que recebem oxigênio tem redução de risco de 25% para 20%. Pacientes com sintomas leves não foram afetados pelo medicamento.

Leia também

Os cientistas acreditam que, se o remédio tivesse sido usado desde o início da pandemia, 5 mil pessoas poderiam ter sido salvas no Reino Unido. Até o momento, são 41 mil vítimas fatais da Covid-19 na região.

De acordo com informações do The New York Times, o secretário de Saúde do Reino Unido, Matt Hancock, afirmou que o medicamento começará a ser usado no serviço de saúde público britânico ainda nesta terça-feira.

Ao jornal norte-americano, o professor da Universidade de Oxford Peter Horby afirmou que o medicamento é a primeiro droga a mostrar um aumento da possibilidade de sobrevivência de pacientes com Covid-19.

Siga o Yahoo Notícias no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.

Leia também