Pesquisa revela hábitos esportivos dos brasileiros após a Covid-19

LANCE!
·2 minuto de leitura


A prática de esportes teve seu comportamento alterado com a pandemia de Covid-19. Um levantamento organizado pela Semexe, startup do setor esportivo, revelou como os hábitos dos brasileiros relacionados ao esporte foram impactados devido ao coronavírus e quais são as expectativas do público visando aos próximos meses. Os últimos seis meses foram de expressiva na prática do futebol, mas com crescimento de exercícios funcionais e ciclismo.

Principal esporte do Brasil, o futebol foi altamente prejudicado por conta da pandemia. Houve um decréscimo de 90% na prática amadora desta atividade em relação ao período anterior do Covid-19. Artes marciais (-83%), Vôlei (-67%), Natação (-53%) e Musculação (-46%) foram outras modalidades que caíram expressivamente. Alguns fatos explicam tais índices, como: impossibilidade de praticar esportes coletivos, principalmente os que envolvem contato físico, locais fechados ou com capacidade reduzida para realização dos exercícios e receio do retorno enquanto não houver vacina.

Por outro lado, se houver um recorte apenas para treinos funcionais e meditação, o aumento é de 36%. Em São Paulo, o destaque fica por conta do ciclismo, com ascensão de 11%. Aliás, a região Sudeste foi a que mais diversificou esportes no período, enquanto o Centro-Oeste foi a que menos adotou modalidades variadas. Contudo, em média, todas as regiões do Brasil se exercitaram menos durante a pandemia.

Outro dado interessante é que 89% dos respondentes consideram que esportes individuais são mais seguros do que os coletivos e que, ciclismo e corrida de rua são os mais seguros. Já futebol é o mais inseguro. Em um recorte ainda mais específico, os mais jovens têm menos receio de voltar à academia do que os mais velhos, assim como as mulheres tendem a perceber que a pandemia as impactou muito mais do que aos homens no que tange às práticas de exercícios físicos. Neste mesmo sentido, uma grande mudança pode estar incorrendo, tendo em vista que mais de 80% dos respondentes pretendem manter hábitos adotados neste período mesmo após a vacina.

A Pesquisa Semexe foi realizada de 24 de setembro até 6 de outubro, com respondentes de 17 cidades, em todas as regiões do País, que se consideram praticantes de atividades físicas. Antes da aplicação do questionário (Pesquisa Conclusiva Descritiva Transversal Única), foram feitas análises de dados secundários e uma pesquisa qualitativa para balizar quais são os principais atributos a serem analisados.