Pesca esportiva, uma atividade que faz bem ao corpo e à mente

·2 minuto de leitura


A pescaria esportiva é um dos esportes mais democráticos que existem. Não importa a idade, forma física ou gênero, todos podem participar. Além disso, não se trata de uma atividade monótona e sedentária, como muitos pensam. Em um dia de pesca, por exemplo, a pessoa chega a fazer de 700 a 1000 arremessos com iscas artificiais (que simulam peixes nadando), o que gera uma perda de até duas mil calorias. É um exercício físico que pode ajudar a manter a forma.

O pescador profissional Maicon Bianchi, referência na pesca esportiva no país, ensina que este é um hobby que pode contribuir diretamente na saúde das pessoas. Ele também explica a diferença entre a pesca tradicional e a esportiva. “A pescaria esportiva, na verdade, é o ato de pegar e soltar o peixe, devolvê-lo aos rios, lagos ou mares. A diversão é pegar o peixe, fotografá-lo, cuidar da oxigenação dele e garantir que ele siga vivo. Assim, vamos preservar as espécies e dar diversão para mais pescadores”, explica Maicon.

O pescador explica que existem dois tipos de pesca, a de espera e a ativa. A primeira é realizada com isca natural, por este motivo é mais passiva, pois espera que o peixe venha. Já a pescaria com isca artificial exige mais. “O pescador precisa fazer com que a isca artificial pareça um peixe vivo. É necessário arremessá-la e, com a vara e a carretilha ou molinete, fazer um trabalho de movimento para que ela aparente ser um peixe nadando e assim atrair o predador. Essa pescaria é muito mais ativa e mais cansativa. Exige um bom condicionamento físico”, ensina Bianchi.

Toda a movimentação necessária para a pesca com isca artificial garante uma boa perda de calorias, além de ser um exercício físico de baixo impacto. Apesar disso, é recomendado que os iniciantes façam alongamentos e, se possível, musculação antes de começar. Maicon Bianchi conta que um dia de pesca pode durar até 11h, o que também auxilia na parte mental, por se tratar de uma prática bastante relaxante e que contribui para que os adeptos fujam da correria do dia a dia.

Como são feitos muitos lançamentos durante a pesca, e os braços são bastante utilizados, Bianchi recomenda um treinamento antes de partir para as grandes pescarias. “Eu indico demais que as pessoas façam também musculação porque pode ser pesado lidar com as varas e iscas artificiais. Também para quem nunca pescou com esse tipo de isca e vai atrás dos grandes tucunarés amazônicos, é legal fazer um treino antes. Sugiro ir em uma represa ou um rio, para testar as iscas antes de encarar as feras”, alerta.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos