Pés, cabeça e bola na rede: alagoana Geyse disputa a Copa do Mundo de Futebol Feminino pela primeira vez

Yahoo Esportes
(Foto: Getty Images)
(Foto: Getty Images)

Por Josué Seixas e Rafael Brito

Foram os gols. Começaram na praia, chegaram às quadras e hoje iluminam os campos de futebol. Dormiram em cada rede adversária, como se soubessem que, saindo daqueles pés ou cabeça, esse fosse o caminho natural. Quis o destino que a artilheira desse texto nascesse em Alagoas, feito Marta, mas que fosse diferente e que tivesse a sua própria trajetória. Aos 21 anos, Geyse da Silva Ferreira, a Pretinha, disputará uma Copa do Mundo de Futebol Feminino pela primeira vez.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

A notícia foi confirmada na última quinta-feira, 16, pelo técnico Vadão. Em Portugal, onde joga pelo Benfica, Geyse gritou, chorou, pulou... E fez tudo de novo. “Eu ainda não consigo acreditar. Me sinto extremamente feliz por esse momento, muito especial na minha carreira. Tinha esperança, dei o melhor de mim e sempre temos que acreditar, não é?”, contou à reportagem do Yahoo! Esportes.

Tudo começou em Maragogi, a cidade natal de Geyse. Ela jogava com meninos, mas uma professora de educação física do colégio a levou ao futsal, para a disputa de jogos escolares. Depois, surgiu outra oportunidade para que fosse jogar no futebol de campo, em um dos times femininos mais tradicionais de Alagoas: o União Desportiva.

“Em Alagoas, foi difícil porque não tínhamos patrocínio e assim tudo fica mais complicado. A realidade é bem difícil até os dias de hoje em Alagoas. É necessário um apoio maior para que novos talentos tenham mais oportunidade. Na equipe que joguei, o dono tinha que tirar do próprio bolso... É realmente muito difícil”, conta.

No União Desportiva, a Pretinha foi uma das melhores jogadoras da Copa do Brasil de 2015, com seis gols em seis jogos. Daí, foi para São Paulo, jogou em dois clubes, na Adeco e no Corinthians, e saiu para o futebol europeu. Jogou na Espanha, no Madrid CFF, e agora está no Benfica, em Portugal.

Geyse no futsal (Foto: Divulgação)
Geyse no futsal (Foto: Divulgação)

A diferença entre a forma em que o futebol feminino é vista nesses países, em relação ao Brasil, é muito diferente. Ela, entretanto, nunca se deixou abalar. Essa é a mensagem que ela diz para qualquer menina que comece a jogar futebol.

“É o que sempre digo: nunca desistam de seus objetivos mesmo que, no momento, não consiga nem ver uma luz no fundo do túnel. Acredite, lute, plante sementes pois um dia o tempo da colheita vai chegar!”.

Yahoo Esportes: Quem é a Geyse como pessoa? O que gosta de fazer, como se diverte?

Geyse: Sou uma pessoa muito tímida, simples, sensível, de família humilde, muito esperançosa e com muita vontade de vencer na vida, com muita força para lutar pelos meus objetivos. Gosto de estar entre amigos, gosto do mar. Quando estou em Alagoas, fico muito na praia com meus irmãos e amigos, gosto de passear, de rever todos que estiveram comigo.

Yahoo Esportes: Você e Marta são duas alagoanas de destaque e de gerações diferentes. Essa pode ser a última Copa da rainha. Ela lhe dá dicas?

Geyse: Essas últimas convocações nos aproximaram mais. Tive uma aproximação maior quando vesti a camisa da Seleção, não a conhecia pessoalmente quando eu jogava aí em Alagoas. Sempre que estamos juntas, ela para e me explica melhor como devo me comportar diante de algumas situações dentro do campo, onde preciso melhorar. A Marta é incrível.

O futsal foi muito importante na carreira de Geyse (Foto: Arquivo Pessoal)
O futsal foi muito importante na carreira de Geyse (Foto: Arquivo Pessoal)

Yahoo Esportes: A Formiga também é outro ícone da Seleção. O que você aprende com ela?

Geyse: Um exemplo forte! Ela é incrível, incansável, me ensina muito sem precisar falar nada. Juro que aprendo só em olhar ela treinar ou jogar. A Formiga um exemplo de atleta.

Yahoo Esportes: Sobre a Seleção: esse período recente foi de derrotas, mas vocês chegam fortes no mundial. Como mudar o pensamento? O que o Vadão prega para vocês?

Geyse: É uma responsabilidade grande representar meu país, uma Nação, mas estou superando a cada dia graças a Deus. Minha timidez não me ajuda (risos). Futebol é isso: uma hora você está mal na tabela e de repente tudo muda. Não podemos desanimar. Vamos dar o máximo sempre e se Deus quiser vamos fazer uma apresentação surpreendente. É isso o que pensamos e o que o nosso técnico fala.

A Geyse em resumo:

- Pelo Benfica, na temporada, são 49 gols em 27 jogos.

- Em 2016, foi a primeira convocação para Seleção Principal e, desde então, sempre esteve presente com o grupo.

- Disputou duas Copas do Mundo sub-20, em 2016 e 2018.

- Participou do Torneio She Believes com a Seleção Brasileira Principal nos EUA.

- Campeã Sulamericana em 2018 com a Seleção Brasileira Sub-20 e artilheira da competição com 12 gols em 7 jogos.

- Campeã Sulamericana com a Seleção Brasileira Sub-20 em 2016.

- Campeã Brasileira sub-20 pelo Adeco.

- Campeã Alagoana 2015 pelo União Desportiva.

- Campeã Alagoana 2014 e artilheira da competição pelo União Desportiva.

Confira mais notícias do Futebol Feminino no Yahoo Esportes


Leia também