Personalidades lamentam morte do ex-atleta e técnico Bebeto de Freitas

Bebeto de Freitas não resiste a infarto (Bruno Cantini / CAM)

Personalidades lamentam morte do ex-atleta e técnico Bebeto de Freitas

Bebeto de Freitas não resiste a infarto (Bruno Cantini / CAM)

O diretor de administração e controle do Atlético-MG, Bebeto de Freitas, foi vítima de parada cardíaca e morreu nesta terça-feira. Aos 68 anos, o dirigente teve de ser atendido por um helicóptero na Cidade do Galo, mas não resistiu. Bebeto havia participado do lançamento do time de futebol americano do Atlético-MG, o Galo FA, e acabou passando mal, enquanto apresentava as acomodações do hotel do clube, na parte superior do centro de treinamento.

O dirigente passou pelo Atlético-MG pela primeira vez em 1999 e retornou pela segunda vez em 2009. No final do ano passado, ele assumiu o cargo de diretor de administração e controle do clube.

O prefeito de Belo Horizonte e ex-presidente do Galo, Alexandre Kalil, usou o Twitter para declarar o carinho à Bebeto.

— Sempre gostei de gente de bem e honesta ao meu lado. Por isso gostava de estar perto de você. Encontramos mais tarde, Bebeto — afirmou Kalil.

Vale lembrar que Alexandre Kalil trabalhou com Bebeto de Freitas no período de 1999 e 2001 e depois, em 2009, quando o ex-treinador de vôlei voltou ao Alvinegro como diretor-executivo, com Kalil como presidente do clube.

Bebeto também foi jogador e técnico da seleção brasileira de voleibol. Foi treinador da "geração de prata" nos Jogos Olímpicos de 1984, quando o Brasil conquistou o melhor resultado até então na modalidade.

O ex-jogador de vôlei de quadra e praia, Nalbert lamentou a morte de Bebeto de Freitas, durante o programa Seleção SporTV. O ex-atleta enfatizou a importância de Bebeto para o esporte nacional.

— Eu estou em choque. Meu coração disparou. Choque muito grande. O que falar do Bebeto para o voleibol? O que falar do Bebeto para o esporte nacional, para o esporte mundial? O Bebeto, antes de mais nada, é um ídolo. Eu comecei a jogar vôlei por causa dele. Por causa daquela primeira medalha de prata em Los Angeles 84. Quando eu me tornei profissional, Bebeto já era um técnico consagrado, já estava dirigindo o Parma, na Itália, um dos melhores times do mundo — comentou Nalbert.

O Botafogo usou a conta oficial no Twitter para falar sobre a passagem de Bebeto de Freitas no clube, quando foi presidente entre 2003 e 2008.

- Um dos responsáveis pela mudança da história do nosso vôlei: 11 títulos estaduais seguidos, 3 brasileiros e sul-americano. Ícone brasileiro e mundial, técnico multicampeão. Um dos grandes nomes do nosso esporte. Bebeto de Freitas, você é eterno em nossos corações! -

O ex-presidente do Alvinegro carioca, Carlos Augusto Montenegro, também se pronunciou. Abalado com a notícia, o ex-mandatário falou sobre o legado deixado por Bebeto.

- Um dia muito triste. Era uma pessoa diferente, muito séria, muito correta. Estou abalado. Pegou todo mundo de surpresa. Era uma pessoa rara. Acho que ele deixa um legado muito grande, que é o amor incondicional dele pelo Botafogo. Agora resta rezar pela família para que tenham força nessa hora e também agradecer pelo que Bebeto fez pelo Botafogo - afirmou Carlos Augusto Montenegro ao programa Tá na Área do SporTv.

O Atlético-MG decretou luto oficial de três dias após o falecimento do dirigente.
























E MAIS:

Leia também