Perigo de Série C: Cruzeiro precisa quitar dívidas na FIFA para evitar novo rebaixamento do clube

·1 minuto de leitura


O Cruzeiro terá de lidar com mais problemas em relação a processos na FIFA que podem acarretar até em rebaixamento à Série C do Campeonato Brasileiro.

O time mineiro precisa quitar valores referentes a três jogadores. O primeiro caso é do meia Arrascaeta. O Cruzeiro tem de arcar com R$ 7 milhões, um débito com o Defensor do Uruguai por uma dívida da época da compra do jogador, em 2015.

Já houve uma sentença final contra a Raposa aplicada pelo TAS (Tribunal Arbitral do Esporte), última instância de apelação em casos dessa natureza, num processo acionado pelo time uruguaio. Se não quitar o débito com os uruguaios, o Cruzeiro poderá ficar sem poder registrar novos atletas no seu elenco.

Outras punições, mais graves inclusive, poem vir de dívidas que precisam ser pagas referentes ao atacante Riascos, em 2015, junto ao Mozatlán, do México, no valor aproximado de 1,15 milhão de dólares (cerca de R$ 5,84 milhões na cotação atual).

A terceira situação grave é do volante Denílson, contratado em 2016, que custou seis pontos perdidos na Série B de 2020, e se não houver a quitação total do débito com o Al Wahda, dos Emirados Árabes, de R$ 5,5 milhões, a equipe celeste poderá ser rebaixada à Série C.

Todo esse imbróglio terá de ser resolvido pelo clube nos próximos dias, para evitar novos vexames fora de campo, manchando ainda mais a história centenária do Cruzeiro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos