Peres reclama de juros no "Caso Hamburgo", mas vê justiça em punição ao Santos


Desde março o Santos está proibido de contratar novos jogadores devido a uma ação do Hamburgo (ALE) na Fifa contra o Peixe. O clube alemão alega que o Alvinegro Praiano não pagou o zagueiro Cléber Reis, contratado em 2017, ainda na gestão anterior, presidida por Modesto Roma Júnior.

José Carlos Peres admite a dívida e, embora otimista com as negociações, não consegue avançá-la para a quitação da pendência. De acordo com o mandatário santista, o principal problema do imbróglio é alto valor dos jutos.

– Quando assumimos, procuramos o Hamburgo (ALE) porque queríamos saldar essa dívida. É 2,5 milhões de dólares essa dívida mais 750 mil euros de multa. Um país onde você pega dinheiro emprestado é sempre 1% de juros por ano. Continuamos negociando, esta negociação demorou. Mudou o presidente de lá, não quis saber da dívida e mandou para a Fifa. Tem um juro excessivo de 30%. Isso acabou criando um grande problema para eles e para nós também – disse o cartola em entrevista ao Fox Sports.




O presidente do Peixe vê justiça na sanção da Fifa ao Alvinegro Praiano e vê nas categorias de base a solução enquanto o clube não puder adquirir novos jogadores ao elenco.

- Fifa nos puniu, não podemos registrar novos jogadores, mas podemos registrar jogadores da base, vender também. É muito justo. Você tem o dinheiro pra contratar e não tem dinheiro para pagar? É correto. Fazemos uma boa negociação com o Hamburgo – afirmou.

Pivô da “novela”, Cléber Reis nunca se firmou no Santos. Destaque no Corinthians em 2014, antes de transferir-se ao futebol europeu, nunca repetiu as boas atuações no time da Vila Belmiro e acumula empréstimos desde então, para Coritiba, Paraná, Oeste e, no momento, Ponte Preta. Recentemente, ao L!, o zagueiro garantiu não ter envolvimento no impasse entre Peixe e Hamburgo.




Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também