Peres coleciona atritos com o elenco; redução de salário foi o último caso

Gabriel Santos
LANCE!


A gestão do presidente José Carlos Peres, iniciada no começo de 2018, coleciona polêmicas e casos de atritos com jogadores e treinadores santistas. O último caso foi o corte de 70% nos salários de atletas e funcionários que recebem acima de R$ 6 mil.

Antes do atrito de salário, o caso mais recente foi com o zagueiro Lucas Veríssimo, titular absoluto da defesa santista. Com um contrato válido até 2022, as partes vêm negociando uma renovação contratual desde o ano passado.

Tudo começou em março, quando o zagueiro, que marcou o gol da vitória diante do Delfín-EQU -pela Libertadores, veio a público reclamar do presidente, pedindo uma valorização. O presidente José Carlos Peres se irritou com os pedidos públicos de Lucas Veríssimo e disse que o zagueiro deveria ter conversado internamente. As partes ainda negociam um acordo.

Outros atletas do atual elenco que tiveram um atrito com Peres foram os atacantes Marinho e Soteldo. O primeiro cobrou a presença do mandatário no CT Rei Pelé para acertar os débitos com o elenco no ano passado. Já o venezuelano reclamou de uma declaração recente de Peres, que o colocou na mira da Inter de Milão e de outros clubes europeus. Soteldo disse que as afirmações não eram verdadeiras.

Não é somente com jogadores do atual elenco que o presidente teve entreveros. Gustavo Henrique e Bruno Henrique, ambos atualmente no Flamengo, reclamaram da postura do presidente em suas negociações contratuais. Peres chegou a chamar o zagueiro de 'mau caráter', em entrevista ao ao jornalista Jorge Nicola.

Ex-treinadores santistas também colecionam adversidades com o presidente. A animosidade com Sampaoli era assunto diário no clube. O treinador argentino chegou a dizer que ficou cinco meses sem falar com o mandatário durante sua passagem pelo Santos, algo negado pelo presidente. Recentemente, Peres acusou Sampaoli de ligar para jogadores do Peixe para levá-los ao Atlético-MG, seu clube atual. O treinador nega que isso tenha ocorrido.

Para fechar a lista, temos Cuca, que criticou a diretoria logo após a eliminação do Santos na Libertadores em 2018. Peres afirmou que o treinador deveria 'cuidar do futebol' enquanto ele 'cuidava do administrativo'.












Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também