Perder a Champions deixou Tottenham 'nas cordas': Lloris e a má fase dos Spurs

Goal.com

Hugo Lloris, goleiro da França e do Tottenham, acredita que o desgosto acumulado pela derrota na final da Liga dos Campeões da última temporada e a falta de estabilidade são responsáveis pelo mau desempenho do clube inglês recentemente.

Há pouco mais de um ano, o Spurs foi finalista na principal competição da Europa, mas perdeu por 2 a 0 para o Liverpool em Madri. Desde então, muita coisa aconteceu. Mauricio Pochettino foi demitido em novembro, com o Spurs em 14º na Premier League e José Mourinho foi trazido para mudar os rumos.

Questionado sobre os motivos da queda, Lloris filosofou. "É até difícil de explicar. Na última temporada, fizemos uma campanha incrível na Liga dos Campeões e terminamos a temporada de joelhos. E você não tem tempo para se recuperar de uma temporada antes de começar uma nova", explicou.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

As lesões no elenco são vistas como boa parte do problema também. O próprio Lloris perdeu três meses com um cotovelo deslocado, enquanto Harry Kane e Son teriam perdido o restante de 2019-20 se a crise de saúde global não tivesse prolongado a disputa.

"Houve o acúmulo de coisas que provocaram a situação e, claro, muitos jogadores lesionados", explicou Lloris. "A mudança de técnico. É difícil permanecer estável e sempre estar olhando para o topo. Às vezes há uma temporada em que tudo vai contra você", continuou.

Os Spurs estão sete pontos atrás na briga por uma vaga na Liga dos Campeões, com apenas nove jogos a serem disputados, e iniciam a retomada de sua campanha com um jogo crucial em casa contra o quinto colocado Manchester United, na sexta-feira, dia 19.

Lloris está gostando da chance de recomeçar e celebrou o retorno de Kane ao comando do ataque.

"É como uma nova temporada que vai começar", disse Lloris. "É verdade que não estávamos no nosso melhor, mas isso pertence ao passado. A equipe parecerá diferente há alguns meses. Estamos mais ou menos em forma, essa é uma grande diferença", concluiu.

Leia também