Pelé versão Nostradamus fez previsões furadas que viraram piada

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - "Pelé, Colômbia no", implorava uma divertida campanha online dos colombianos antes da Copa de 2014.

O motivo da súplica era justo. E remete a um dos maiores traumas do futebol do país: em 1994, com a talentosa geração de Rincón, Valderrama e cia., a Colômbia parecia imbatível. Na Copa, o Rei cravou a equipe como favorita. Resultado? Eliminação vexaminosa na primeira fase.

Culpa de quem? Os colombianos não têm dúvida: Pelé!

As previsões de Edson Arantes "Nostradamus" do Nascimento se tornaram um divertido folclore no futebol.

E Pelé, corajosamente (ou não), nunca negou seus palpites, até mesmo quando "prejudicou" o Brasil.

Em 1990, ele achava que a seleção iria longe. Acabou eliminada nas oitavas. Foi assim também em 1998, 2006 e 2014, Mundiais em que o rei apostou na "amarelinha".

Na Copa de 2006, experiente, Pelé aumentou as apostas: Brasil (principal favorito), República Tcheca, Croácia, Inglaterra ("o melhor futebol na Europa"), Argentina e México. A campeã foi a Itália... contra a França na final.

Em 2002, para sorte de Felipão, França e Argentina foram os destaques do Rei —caíram na primeira fase.

Até as previsões de longo prazo de Pelé pareciam mais maldições. Ele profetizou em 1990 que "até o fim do milênio uma seleção africana seria campeã". E a Colômbia em 2014? Fez sua melhor Copa do Mundo de todos os tempos. "Pelé, gracias."