Pelé tem alta do hospital e fará 'quimioterapia'

·3 minuto de leitura
Pelé (foto de arquivo) esteve internado por um mês após a retirada de um tumor no cólon (AFP/LOUISA GOULIAMAKI)

Pelé recebeu nesta quinta-feira (30) alta do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, onde esteve internado por um mês após a retirada de um tumor no cólon, e fará tratamento de quimioterapia, informou o centro médico.

Edson Arantes do Nascimento, de 80 anos, "encontra-se estável e seguirá em quimioterapia, após a cirurgia de retirada de tumor no intestino, realizada em 4 de setembro", informou o hospital em nota.

O hospital não deu mais detalhes sobre o tratamento de quimioterapia, sobre o qual não tinha informado anteriormente.

O ex-jogador de futebol foi internado em 31 de agosto no Albert Einstein e quatro dias depois, foi operado de um tumor "suspeito" no cólon e passou vários dias em uma unidade de terapia intensiva, onde voltou pelo menos uma vez há duas semanas devido a instabilidade respiratória.

Nem os médicos, nem Pelé e sua família informaram até agora o resultado do exame anatomopatológico do tumor, detectado em exames de rotina.

Enquanto estava hospitalizado, o autor de mais de mil gols compartilhou como sua saúde estava evoluindo em publicações nas redes sociais, muitas delas impregnadas de seu senso de humor particular.

No Instagram, onde tem 7,3 milhões de seguidores, publicou vídeos e fotos em que aparecia se exercitando em uma bicicleta ergométrica, levantando os punhos para comemorar que "a cada dia" se sentia melhor, e até parabenizou o argentino Lionel Messi por superá-lo como o artilheiro das seleções sul-americanas.

“Quando a vida impõe um desafio, é sempre mais fácil enfrentá-lo com um sorriso”, escreveu o Rei do Futebol, o único jogador a vencer três Copas do Mundo (1958, 1962, 1970), no Instagram na quarta-feira.

Uma de suas filhas, Kely Nascimento, narrou em suas redes a recuperação do pai, que ela mostrou jogando cartas no quarto do hospital, cantando e depois tingindo os cabelos de preto.

“Ele está mais forte e saindo do hospital para continuar se recuperando e se tratando em casa”, escreveu Kely Nascimento na quarta-feira no Instagram.

- Afastado dos eventos sociais -

Considerado pela Fifa o melhor jogador de futebol do século 20, título que divide com o falecido astro argentino Maradona, Pelé se afastou da vida pública nos últimos anos.

Com a chegada da covid-19, que deixou cerca de 600 mil mortos no Brasil, o ex-jogador se isolou em sua casa no Guarujá, em São Paulo.

Nas redes sociais, costuma relembrar suas façanhas, torce pela Seleção e pelo Santos - as duas camisas com as quais mais triunfou -, promove a vacinação contra o coronavírus e até parabeniza quem quebra a suas marcas, como Messi.

No início do ano o seu legado voltou à cena com o lançamento de um documentário sobre a sua vida, na plataforma de streaming Netflix.

Em uma das primeiras imagens no filme, ele aparece se movendo lentamente com a ajuda de um andador.

Pelé, que completa 81 anos no dia 23 de outubro, já deu entrada no hospital várias vezes nos últimos tempos para tratar de diversos problemas de saúde. A última foi em 2019, quando foi internado em Paris e transferido para São Paulo para retirar um cálculo renal.

Em 2014, ingressou na terapia intensiva após outra infecção urinária que o obrigou a fazer diálise no rim esquerdo, após nos anos 1970 ter o direito removido devido a uma lesão quando ainda era jogador.

O eterno camisa 10 também passou por cirurgias de quadril e coluna e desde 2012 tem se movimentado com certa dificuldade, chegando a aparecer em público em uma cadeira de rodas em algumas ocasiões.

“Não importa o tamanho do desafio. O segredo é comemorar cada pequena vitória pelo caminho”, escreveu quando ainda estava hospitalizado.

raa/app/ol/lca

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos