Pelé: 'Não bati o recorde do meu pai de gols de cabeça em uma partida'


Vencedor de três Copas do Mundo e eleito o Atleta do Século, Pelé é o entrevistado em um bate papo inédito que o Rei do Futebol teve com o canal de empreendedorismo Foras de Série. O programa irá ao ar nessa terça-feira (12) na plataforma You Tube e vai relembrar a trajetória de Pelé desde sua infância nos campinhos de Bauru até sua aposentadoria no New York Cosmos (EUA), passando pelo início no Santos e a Seleção Brasileira.

- Até a Copa de 58 a numeração não tinha nenhuma importância. Depois que fomos campeões, eu usando a 10 - o jogador mais novo do time e de uma Copa - ela passou a ter essa importância que vemos até hoje. Antes disso, o único número importante era o 1 do goleiro. Por isso, brinco com meu filho Edinho, que jogou com essa camisa no Santos, que Deus foi muito bom com nossa família dando essa responsabilidade em dobro pra nós - diz o Rei do Futebol, que também revelou qual desafio tinha no início da carreira.

- Meu pai jogava no Bauru e telefonou para o deputado e ex-presidente do Santos Athiê Jorge Cury para conseguir um teste no clube. Lembro que fui de trem até São Paulo e de lá de táxi até Santos. Foi o início de tudo. Uma curiosidade que pouca gente sabe é que comecei minha carreira com um desafio: meu pai era - e ainda é - o maior artilheiro de gols de cabeça em um mesmo jogo com cinco gols. Eu pensava, será que um dia vou conseguir bater essa marca? Fiquei todo esse tempo no Santos e não consegui - lembra Pelé falando de seu pai, João Ramos do Nascimento, o Dondinho, falecido em 1996.

Ex-atacante com passagens por clubes como Atlético Mineiro, Fluminense, São Lourenço, Vasco de São Lourenço e Bauru, Dondinho tinha o apelido de 'Maleável', tamanha era sua facilidade para subir e cabecear.

A descontraída gravação foi realizada na casa de Pelé na cidade de Santos. A lenda do futebol destacou também a grande diferença que vê na formação dos jogadores brasileiros e americanos e como sua geração foi importante para o desenvolvimento do mercado, deixando o futebol mais profissionalizado.

- A base americana é espetacular. As escolas e universidades investem nos garotos. No Brasil, que é o país do futebol, não temos a mesma base. Temos uma dificuldade enorme na educação dos jogadores. Aqui ou ele joga ou estuda e trabalha. Infelizmente nossas escolas não valorizam essa formação como lá nos Estados Unidos - afirma Pelé.

O programa Foras de Série Identidade vai ao ar todas às terças-feiras, às 11h, e sempre traz a trajetória de pessoas inspiradoras. O episódio completo pode ser visto no canal oficial do Foras de Série no You Tube. O conteúdo produzido pelo canal também pode ser visto no Instagram, Twitter, Spotify e Linkedin.













Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também