'Pelé fez coisas que nenhum outro jogador sequer sonharia', diz presidente da Fifa

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Atleta exemplar e dono de habilidade e imaginação incomparáveis. Foi assim que Gianni Infantino, presidente da Fifa (Federação Internacional de Futebol), definiu Pelé em texto no qual homenageou o Rei do Futebol, morto nesta quinta-feira (29) aos 82 anos.

Em carta publicada no site da maior entidade do futebol mundial, o dirigente lembrou as ocasiões em que esteve pessoalmente com Pelé e revelou ter nutrido admiração pelo Rei desde a infância. "Pelé fez coisas que nenhum outro jogador sequer sonharia [...] Seu legado é impossível de resumir em palavras", afirmou.

A entidade também publicou um vídeo com depoimentos sobre Pelé e cenas da carreira do ex-camisa 10 da seleção. Leia o texto e veja o vídeo abaixo:

LEIA A CARTA DE INFARTINO NA ÍNTEGRA

"Pelé Imortal - para sempre conosco

Para todos aqueles que amam o jogo bonito, este é o dia que nunca queríamos que chegasse. O dia em que perdemos Pelé.

'O Rei' foi único em muitos aspectos.

Foi o único jogador a ter vencido a Copa do Mundo por três vezes, e sua habilidade e imaginação eram incomparáveis. Pelé fez coisas que nenhum outro jogador sequer sonharia, como o famoso drible ["da vaca"] na semifinal de 1970. Ou o gol que ele marcou na final da Copa de 1958, aos 17 anos, quando deu um chapéu no zagueiro e chutou de primeira para as redes.

A visão dele socando o ar em sua comemoração é uma das mais icônicas do nosso esporte e está gravada em nossa história. Na verdade, como o futebol televisionado ainda dava seus primeiros passos na época, vimos apenas pequenos vislumbres do que ele era capaz.

Mais importante ainda, "O Rei" subiu ao trono com um sorriso no rosto. O futebol podia ser brutal naquela época, e Pelé frequentemente recebia um tratamento duro. Mas, embora soubesse se defender, foi sempre um desportista exemplar, com respeito genuíno pelos adversários.

Tive o grande privilégio de conhecê-lo e estar com ele em diversas ocasiões. Em 2016, já como presidente da Fifa, estive lado a lado com ele na estreia do filme de Pelé, o que me fez lembrar de quando sentei ao lado do meu pai, em 1981, quando ele me levou para assistir "Escape to Victory" [Fuga para a Vitória, de 1981], que Pelé estrelou ao lado de Silvester Stallone e outros atores famosos.

Eu tinha 11 anos e meu pai me dizia que Pelé era um grande jogador. O gol fantástico que ele marcou naquele filme foi a única forma, naquele momento, de vislumbrar as suas incríveis habilidades.

Os momentos passados com ele ficarão para sempre na minha memória e no meu coração.

Pelé tinha uma presença magnética e, quando você estava com ele, o resto do mundo parava.

A vida dele é mais do que futebol. Ele mudou as percepções para melhor no Brasil, na América do Sul e no mundo.

Seu legado é impossível de resumir em palavras.

Aos familiares e amigos, à CBF, ao Brasil e a todos os torcedores que tanto o amavam, expresso minhas sinceras condolências.

Hoje, todos nós lamentamos a perda da presença física do nosso querido Pelé, mas ele alcançou a imortalidade há muito tempo e por isso estará conosco por toda a eternidade."

Gianni Infantino