Pedrinho encanta Carille e pode ser titular também no clássico

O atacante Pedrinho é um dos poucos corintianos que guardarão uma lembrança contente da partida contra o Red Bull, na última quinta-feira, no estádio de Itaquera, mesmo com o empate por 1 a 1 entre o Timão e a equipe campineira. Ovacionado pela torcida ao ser substituído, quando o placar ainda marcada 1 a 0 para o Alvinegro, o garoto ganhou tanto moral que pode até ser titular no clássico de domingo, às 16h (de Brasília), contra o São Paulo, no Morumbi.

“É um jogador que acompanho desde 2015, de muita qualidade, pé esquerdo que trabalha bem. Com certeza eu posso dizer que ganhei um jogador. É um atleta que vai sofrer um pouquinho nos jogos por causa do corpo, por isso joga nos lados. Ali no meio ele ainda não tem condição de aguentar as pancadas”, comentou o treinador, deixando clara a possibilidade de escalar o jovem de 18 anos no Majestoso.

“Vou ter que esperar até amanhã (sexta-feira) para saber a situação dos jogadores. A gente tem Balbuena voltando, Jadson para retornar depois da situação… É algo que pode acontecer, mas a partir do próximo treino que a gente começa a esboçar”, explicou Carille.

Para o duelo, como bem explicitou em sua resposta, o comandante provavelmente terá a sua dupla de zaga titular, com Balbuena e Pablo, e promoverá o retorno de Jadson, que cumpriu suspensão no meio da semana. Dessa forma, fica com Jadson e Rodriguinho à disposição, restando apenas a vaga de atacante pelo lado esquerdo em disputa.

Sem Marlone, negociado com o Atlético-MG, e ainda impossibilitado de inscrever Clayton, que só terá condições de jogar o mata-mata do Estadual, Carille tem à disposição apenas Pedrinho e Léo Jabá, já experimentado no profissional. Em má fase técnica, porém, ele dificilmente ganhará a briga com o também jovem companheiro, ambos sob a batuta do camisa 77.

“Não se discute a qualidade do Jadson, experiência, valoriza mais a posse de bola. Pedrinho não é atacante, é armador, e é normal ter dificuldades. A equipe sente quando o Jadson não joga, por isso é importante o retorno dele. A gente sabe que precisa demais disso”, concluiu.