Pedri supera veto do pai e assume papel de novo Iniesta

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O pai de Pedri, Fernando, um ex-goleiro que chegou à terceira divisão espanhola, bem que tentou. Na infância do jogador, ele vetou que o filho cortasse o cabelo igual ao do ídolo, Andrés Iniesta, para afastar do garoto as comparações com o astro espanhol. Mas, assim que o jovem vestiu a camisa do Barcelona, não teve jeito.

"Estamos falando de puro talento, ele é o melhor do mundo", afirmou Xavi Hernández, parceiro histórico de Iniesta e técnico do time catalão. Luis Enrique, treinador da Espanha, chamou-o de "incrível, simplesmente único". E Julen Lopetegui, antecessor do atual treinador da seleção, o descreveu como "especial, daqueles que só aparecem de vez em quando."

Aos 19 anos, Pedri tenta se esquivar de tanta expectativa. Ele só quer saber de jogar futebol. "Para eu me divertir, que é a melhor coisa que você pode fazer", diz.

O problema é que ele se diverte tanto em campo que não conseguiu escapar da comparação com o ídolo. O próprio Xavi completou o comentário dele dizendo que o jovem o fazia se lembrar de Iniesta, "o melhor que eu já vi". Poucos teriam a propriedade do treinador do Barça para falar isso.

Mas a fama de Pedri não é fruto somente dos adjetivos de quem o conhece. Em campo, já deu provas de que pode ser o grande astro da seleção espanhola na Copa do Mundo no Qatar.

Pelo time catalão, ele acumula atuações memoráveis mesmo com as oscilações do time, que novamente foi eliminado na fase de grupos da Liga dos Campeões nesta temporada, assim como ocorreu na jornada anterior.

Enquanto o Barcelona vive um momento de transição desde a saída de Messi, em agosto de 2021, o meia que veio do Las Palmas desfruta de uma ascensão meteórica.

Em seis meses vestindo a camisa do Barça, ele chegou à seleção espanhola. Depois de estrear em março, nas Eliminatórias, também foi chamado para a Eurocopa 2020, realizada em 2021 por causa da pandemia.

"Tudo acontece muito rápido. Há duas temporadas joguei no Las Palmas, agora na seleção e no Barça. É desfrutar pouco a pouco o que está acontecendo comigo. Mas às vezes chego em casa e reflito... É uma loucura", disse o atleta após a competição de seleções europeia.

No torneio, ele foi um dos principais responsáveis por levar a Fúria até a semifinal, passando pelo grupo que tinha Suécia, Eslováquia e Polônia, além de superar Croácia e Suíça nas oitavas e nas quartas de final, respectivamente.

A campanha só esbarrou na semifinal, diante da Itália. No confronto, Pedri completou 65 dos 67 passes que tentou, um terço a mais do que qualquer jogador da Itália. Foi ainda a bola de segurança no meio campo, com equilíbrio entre jogadas individuais e boas tabelas.

No tempo normal, porém, houve um empate por 1 a 1. Chiesa abriu o placar para os italianos e Morata foi quem deixou tudo igual. A igualdade se manteve durante a prorrogação e, nos pênaltis, a Itália venceu por 4 a 2 —Dani Olmo e Morata desperdiçaram suas cobranças. Pedri não chegou a ter sua chance de chutar.

Mesmo com a eliminação da Espanha, os principais veículos da Europa resolveram destacar um aspecto positivo na queda: as atuações do meia.

O periódico inglês The Guardian, por exemplo, escreveu que a "dor da Espanha na Euro foi amenizada pelo surgimento de Pedri como herdeiro de Iniesta".

Ainda que tenha deixado a competição sem marcar nenhum gol, nem mesmo dar uma assistência, o papel dele como maestro do meio de campo foi reconhecido até mesmo pela Uefa. A entidade o elegeu o melhor jovem jogador da competição —prêmio concedido na ocasião a atletas nascido após 1º de janeiro de 1998—, além de escalá-lo na seleção ideal do torneio, sendo o único espanhol presente.

Artilheiros da Euro com cinco gols, o português Cristiano Ronaldo e o tcheco Patrick Schick ficaram foram da seleção concebida pela Uefa.

No final do ano, o talento dele seria novamente reconhecido, desta vez, pela revista "France Football", que o premiou como o melhor jogador Sub-21 do mundo em 2021.

"Quem sabe alguma coisa sobre futebol sabe que ninguém nunca viu isso de ninguém aos 18 anos, nem mesmo Sir Andrés Iniesta. Pedri é incrível, simplesmente único", afirmou Luis Henrique.

Não é à toa, portanto, que os espanhóis estão ansiosos e esperançosos com a participação de Pedri no Mundial. E torcem para que ele repita seu ídolo, Iniesta, que foi fundamental para a Fúria conquistar seu único título mundial, em 2010, na África do Sul.

*

RAIO-X

PEDRI, 19

Nascimento

25 de novembro de 2002, em Bajamar, Espanha

Altura

1,74 m

Posição

Meia

Pé preferencial

Destro

Clube atual

Barcelona (desde 2021)

Pela seleção (desde 2020)

- 12 jogos - 0 gols

Títulos

Barcelona: Copa do Rei (2020–21)