A pedido do Leão, audiência do caso Victor Ramos segue suspensa

Inter foi condenado por usar documentos falsos no Caso Victor Ramos - (Foto: Divulgação)

Quando a confusão envolvendo Internacional, Vitória e o zagueiro Victor Ramos caminhava para um desfecho, ela ganhou novo capítulo. Após cinco horas de audiência em Lausanne, na Suíça, a Corte Arbitral do Esporte (TAS), resolveu suspender a sessão.

Agora, o Tribunal, atendendo a um pedido do Vitória, julgará se é ou não apropriada para julgar o ex-zagueiro do clube baiano. A resposta deve sair em até 48 horas.

Em um vídeo publicado nas redes sociais, o diretor jurídico do clube, Augusto Vasconcelos, explicou o porquê do encerramento e comemorou a suspensão.

- A audiência aqui acaba de ser encerrada. Fizemos uma argumentação com uma preliminar no processo, pedindo para que os árbitros analisassem a competência do tribunal para julgar o caso, já que consideramos que o Tribunal não é competente para julgar a matéria. Os árbitros consideraram a preliminar e suspenderam a audiência para analisá-la. Foi uma vitória do Esporte Clube Vitória e da CBF porque o mérito sequer foi analisado - comentou Vasconcelos.

Dependendo do resultado, o time gaúcho pode se salvar do rebaixamento e empurrar o Leão para a segundona. Se o Vitória for punido no TAS, uma outra confusão entra em campo: o Estatuto do Torcedor prevê que o regulamento de uma competição seja registrada com até 60 dias de antecedência.

A principal competição de clubes do Brasil começa no dia 13/5. O Colorado já tentou recorrer à CBF e ao STJD, em vão. O Tribunal, aliás, sequer aceitou o pedido do Inter para o julgamento do Vitória.

O clube gaúcho tenta provar no Tribunal a suposta escalação irregular do zagueiro Victor Ramos, ex-Vitória, durante jogos do Campeonato Brasileiro da última temporada. Com este processo, a intenção é conseguir uma vitória jurídica visando a anulação do rebaixamento colorado à Série B.

RELEMBRE

​A denúncia por parte do Internacional está relacionada à transferência de Victor Ramos, ex-jogador do Palmeiras, para o Vitória. Na ocasião, o atleta estava emprestado ao Verdão pelo Monterrey, do México, e, quando acertou com o Rubro-Negro, procedimentos da negociação não seguiram as recomendações do TMS, sigla que remete ao Sistema de Mercado de Transferências.

O Internacional ainda alegou a que o registro do jogador foi feito de forma irregular, porque o empréstimo de Victor Ramos do Monterrey para o Vitória aconteceu como se fosse transferência nacional, já que o Certificado de Transferência Internacional (ITC, sigla em inglês) estava ainda no Brasil, uma vez que, na ocasião, o defensor defendia o Palmeiras.

O time gaúcho, que brigava com o Vitória contra o rebaixamento, trouxe o caso à tona, mesmo com o assunto tendo sido "enterrado" no começo do ano passado, quando o Bahia também questionou a condição de jogo de Victor Ramos.

O Colorado juntou um documento no STJD alegando má fé do Leão. O Inter também pediu a perda de pontos da equipe baiana no Brasileiro. A procuradoria do STJD ouviu as partes envolvidas, inclusive a CBF, e concluiu que não havia irregularidade. O caso chegou ao conhecimento da Fifa, que também deu aval ao Vitória para continuar escalando Victor Ramos.






















E MAIS: