Pedido da Mercedes para revisão de incidente entre Verstappen e Hamilton é rejeitado pela FIA

·2 min de leitura
Hamilton venceu o GP de São Paulo e se aproximou de Verstappen na luta pelo título. Foto: Antonin Vincent / POOL / AFP
Hamilton venceu o GP de São Paulo e se aproximou de Verstappen na luta pelo título. Foto: Antonin Vincent / POOL / AFP

O pedido da Mercedes para que a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) revisasse o incidente entre Verstappen e Hamilton, no GP do Brasil, foi rejeitado pela entidade. A equipe alemã solicitou a revisão após um novo vídeo da briga por posição entre os dois pilotos vir a público.

Durante a volta 48 do Grande Prêmio disputado em São Paulo, Hamilton tentou a ultrapassagem, mas foi bloqueado pelo holandês, que “espalhou” o carro para se defender. Ambos saíram da pista, e o inglês não conseguiu tomar a posição do rival naquele momento.

Leia também:

Os comissários responsáveis pela prova não consideraram a manobra de Verstappen, líder do campeonato, passível de punição. Mas após a divulgação de um vídeo pela própria F1 mostrando o lance, a Mercedes decidiu recorrer. O vídeo mostra que o holandês freia tardiamente e movimenta pouco o volante, não contornando a curva em sua totalidade. 

A FIA discordou que as imagens atendam ao critério de novas evidências contundentes para justificar o direito de revisão. 

“A posição da equipe é que esse novo registro fornece informação suficiente para que os comissários cheguem a uma conclusão diferente da anterior. Ainda assim, os comissários determinaram que o vídeo não exibe nada excepcional que seja particularmente diferente dos outros ângulos disponíveis para eles no momento, ou que mude a decisão deles, baseada no vídeo originalmente disponível. Diferente do caso da Áustria em 2020, no julgamento dos comissários, não há nada no registro que mude fundamentalmente os fatos. De igual modo, isso não mostra nada que já não tenha sido considerado pelos comissários. Assim, é determinado que o registro não é significante”, declarou a FIA.

Adversários criticaram falta de critério da FIA

Apesar do holandês justificar que o incidente foi um "lance de corrida" e tentar se defender dizendo que se confundiu quanto ao ápice da curva, dizendo que os pneus estavam desgastados, a manobra não foi bem vista no circo da Fórmula 1.

Pilotos como Charles Leclerc, Carlos Sainz, George Russell, Lando Norris e Pierre Gasly viram a decisão da entidade que administra a Fórmula 1 como "falta de critério" na F1 e cobraram uma punição ao líder do campeonato.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos