Paulinho é advertido pelo Guangzhou, mas não será deportado da China

O volante do Guangzhou Evergrande, Paulinho, teve problemas com o clube chinês por conta de um contrato de patrocínio com a empresa de apostas filipina Letou. Além da modalidade ser proibida na China, ao lado do jogador, em foto da campanha, vazada, estava uma atriz pornô japonesa. No país, a pornografia também não é permitida.

Porém, apesar de confirmar punição para o atleta, titular da Seleção Brasileira, os chineses negaram qualquer possibilidade do brasileiro ser deportado da China, possibilidade levantada pela imprensa mundial.

2017-04-14-paulinho


(Foto: Getty Images)

VEJA TAMBÉM:

O ex-jogador de Corinthians e Tottenham revelou que abriu uma investigação interna e apesar do jogador garantir que foi enganado, os cartolas do Guangzhou não perdoaram a atitude de Paulinho. Ele foi criticado e advertido pelos dirigentes, por participar em uma atividade comercial sem a permissão do clube.

"Nós conduzimos uma investigação interna em Paulinho assim que nós soubemos do escândalo através dos meios de comunicação", apontou o Guangzhou em comunicado oficial.

"Depois dos inquéritos iniciais, descobrimos que Paulinho concordou em acertar com a empresa de apostas sem notificar o clube antecipadamente e ele não fez a devida diligência necessária para este processo", acrescentou os chineses.

Aos 28 anos, Paulinho marcou um hat-trick na vitória do Brasil sobre o Uruguai, por 4 x 1, no mês passado, e é um alvo de transferência na próxima janela para Bayern de Munique e Barcelona.