Patricky ‘Pitbull’ relembra ‘perrengue’ vivido no GP do Rizin com lesão e pede por revanche

Patricky ‘Pitbull’ não terminou a temporada de 2019 da forma que planejava. Escalado para o ‘Grand Prix’ dos pesos-leves (70 kg) do Rizin, o brasileiro até começou bem sua participação no torneio – nocauteando o compatriota Luiz Gustavo em apenas 28 segundos. No entanto, apesar do triunfo dominante, o atleta da ‘Pitbull Brothers’ lesionou a mão e teve que se desdobrar para lutar a final machucado.

Longe das condições ideais para competir 100%, o brasileiro acabou sendo derrotado na decisão do ‘GP’ por Tofiq Musaev, atleta do Azerbaijão. E curiosamente, a região lesionada – mão direita – foi a mesma que Pitbull havia feito uma cirurgia no início de 2019. O novo ferimento não foi tão grave quando o anterior e Patricky não precisará passar por outro procedimento cirúrgico.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

“Lutei na raça, na vontade. Quebrei a mão direita, a mesma que eu tinha feito uma cirurgia. Mas não seria isso que iria me parar. Sempre tive o sonho de lutar duas vezes na mesma noite. Eu trabalhei para isso. Trabalhei a minha cabeça para fazer a segunda luta mesmo que estivesse sangrando, com um olho fechado ou coisa do tipo. Apesar da primeira luta ter sido muito rápida, eu acabei quebrando a mão. Infelizmente não venci o GP, mas foi uma luta muito dura, de igual para igual. Fiquei satisfeito com o meu desempenho dadas as circunstâncias”, relembrou o brasileiro, antes de falar sobre os cuidados necessários com a região machucada.

“Em nenhum momento eu pensei em desistir. Se isso passasse pela minha cabeça, era melhor nem ter entrado no ringue. Entrar pensando assim é pensamento de derrotado. Eu entrei com o pensamento de que poderia vencer a luta e superar a lesão. Agora vou descansar para me recuperar. O médico me pediu um mês de descanso. Não vou precisar passar por uma nova cirurgia, graças a Deus. Mas não posso levantar peso e muito menos treinar. É só descanso”, completou.

Apesar das circunstâncias adversas, a derrota para Musaev não foi esquecida por Patricky. E prova disso é que o brasileiro, apenas dez dias após a luta, já fala em revanche. O desejo do peso-leve é encarar o atleta do Azerbaijão em um cage desta vez – ao invés do ringue em que se enfrentaram no Rizin, no dia 31 de dezembro.

“Eu penso em fazer uma revanche com ele, mas dessa vez uma luta no cage. No cage sou mais acostumado e acredito que eu leve vantagem em algumas questões da grade. Nas cordas do ringue fica um pouco mais difícil trabalhar a parte de Wrestling, de grade, e eu acho que eu levaria um pouco mais de vantagem nesse tipo de jogo se o combate acontecesse no cage. Mas agora é me recuperar e em seguida ver o que o Bellator está planejando para mim”, concluiu Pitbull.

Leia também