Patrick de Paula gasta R$ 20 mil por mês para aprimorar físico

Contratação mais cara da história do Botafogo, Patrick de Paula tem trabalhado para melhorar seu desempenho.
Contratação mais cara da história do Botafogo, Patrick de Paula tem trabalhado para melhorar seu desempenho. Foto: (Ricardo Moreira/Getty Images)

Sem entrar em campo pelo Botafogo desde o dia 30 de julho, e fora da lista de relacionados do clube das últimas duas partidas, o meio-campista Patrick de Paula, contratação mais cara da história do clube da estrela solitária, tem tido cuidado enorme com sua preparação física mesmo fora das dependências do Botafogo.

Pessoas próximas ao jovem jogador, de acordo com informações publicadas pelo jornal O Globo, afirmaram que ele tem desembolsado a quantia de R$ 20 mil por mês para que uma equipe de funcionários o ajude no turno inverso ao das atividades propostas pelo Departamento de Futebol do Botafogo. O jogador de 23 anos de idade contratou dois personal trainers, um com foco específico em futevôlei, um nutricionista, um coach esportivo para trabalhar a parte mental do atleta e um quiroprata.

Leia também:

O Botafogo pagou cerca de R$ 34 milhões ao Palmeiras para contar com 50% dos direitos econômicos de Patrick de Paula, que assinou contrato com o clube de General Severiano até o ano de 2026. Até agora, no Botafogo, Patrick atuou em apenas 17 das 33 partidas disputadas, sendo 13 como titular. No último dia 3 de setembro, Patrick de Paula foi diagnosticado com Paralisia de Bell, uma lesão no rosto muito rara, mas fora liberado pelo Departamento Médico três semanas depois, no dia 27 do mesmo mês.

Na coletiva de imprensa após a partida contra o Palmeiras na última segunda-feira, o técnico Luis Castro explicou as razões para não utilizá-lo: "O Patrick não está em condições de jogo, está aquém dos jogadores que estão na posição dele. Para mim o jogador é o todo, ou pode jogar ou não pode jogar. Ou está em condições ou não está em condições, e enquanto não estiver em condições não vai a jogo. É isso. E eu trabalho com eles, para mim a semana de trabalho é sagrada, respeito pelo trabalho e dignidade no trabalho para mim são fundamentais. Portanto, é assim".