Secretária-geral da Fifa ressalta peso do futebol para "mundo mais inclusivo"

Madri, 8 mar (EFE).- A secretária-geral da Fifa, a senegalesa Fatma Samoura, afirmou que "o futebol é o instrumento adequado para se alcançar um mundo mais inclusivo", que "nenhuma sociedade pode prosperar alienando 50% da população" e que "uma sociedade conservadora não é a solução para promover o esporte".

Após a III Conferência pela Igualdade e a Integração realizada por causa do Dia Internacional da Mulher, Samoura declarou que "o futebol é um esporte de alcance global, que pode unir homens e mulheres" e que a organização da qual faz parte "dá às mulheres um papel de protagonismo em tudo o que faz no futebol".

"Qualquer sociedade que tente implantar mudanças sustentáveis rumo a um mundo mais inclusivo poderá fazer mais com o futebol. Através do futebol, podemos conseguir mudanças maiores em um tempo recorde", opinou Samoura ao site da Fifa.

Primeira mulher a ocupar o cargo de secretária-geral da Fifa após ser nomeada no ano passado pelo presidente Gianni Infantino, a Samoura considerou que sua designação "mostra que o mundo do futebol está mudando com a diversidade nos níveis mais altos da hierarquia".

"Mas o que mudará a percepção, que a maioria das pessoas têm, de que o futebol é um esporte eminentemente masculino não será só a minha nomeação, certamente. É necessário que se produzam estas mesmas mudanças no âmbito das confederações, das federações e das comunidades", acrescentou.

Segundo Samoura, "oferecer às meninas a simples oportunidade de praticar futebol as concede uma chance de fazer uma carreira no futebol".

Após desejar que seu "exemplo sirva de inspiração para outras ligas de futebol, confederações e federações", a secretária-geral destacou a importância da conferência realizada há dois dias em Zurique, onde participaram tanto homens como mulheres com grande interesse no tema.

"Isso demonstra que o desenvolvimento do futebol feminino não é unicamente um problema para as mulheres em geral, mas um problema que deve ser abordado pela sociedade. Temos ouvido algumas histórias cheias de inspiração, de como o futebol permitiu a várias pessoas corrigir defeitos na sociedade. Foi provado que as mulheres podem enviar uma mensagem ao resto do mundo mediante o esporte", concluiu. EFE

omm/vnm