Patinação e beisebol: atleta dos EUA faz história com medalhas nas Olimpíadas de Inverno e Verão

·2 minuto de leitura
Eddy Alvarez garantiu medalha no beisebol - Foto: Jasen Vinlove-USA TODAY Sports
Eddy Alvarez garantiu medalha no beisebol - Foto: Jasen Vinlove-USA TODAY Sports

A seleção norte-americana de beisebol avançou à decisão da Olimpíada de Tóquio nesta quinta-feira e colocou o nome de Eddy Alvarez na história. Com ao menos a prata garantida, o atleta dos Estados Unidos é mais um a faturar medalhas nos Jogos Olímpicos de Verão e de Inverno.

Segunda base da seleção, Alvarez esteve quatro vezes no bastão e acertou uma rebatida que resultou em uma das corridas da vitória por 7 a 2 sobre a Coreia do Sul nas semifinais. Ao fim do jogo, a festa foi para o atleta, que tornou-se o sexto da história a garantir medalhas nos Jogos de Verão e de Inverno.

Leia também:

O que mais impressiona, porém, é a diversidade dos esportes praticados por Alvarez. Atleta do Miami Marlins na Major League Baseball (MLB), principal liga da modalidade no mundo, ele esteve na Olimpíada de Inverno de Sochi, em 2014, quando competiu no revezamento de 5000m da patinação no gelo. E faturou a prata.

Em Tóquio, Alvarez finalmente teve a chance de competir no esporte que é seu “carro-chefe”. O próprio norte-americano explicou, às vésperas da Olimpíada, que o beisebol é sua “verdadeira paixão”, enquanto a patinação foi um “objetivo a curto prazo”.

Alvarez cresceu nas praias de Miami, onde praticava patinação e se destacava pelas manobras arriscadas. Diante da possibilidade de disputar uma Olimpíada de Inverno, decidiu afastar-se momentaneamente do beisebol para realizar este sonho.

Questionado sobre as similaridades das modalidades, o atleta brincou. “Virar à esquerda. E é isso”, disse, citando o percurso feito tanto na patinação quanto no beisebol.

Apenas 142 nomes ao longo da história disputaram os Jogos de Verão e de Inverno, incluindo os brasileiros Claudinei Quirino, Matheus Inocêncio (ambos atletismo e bobsleigh) e Jacqueline Mourão (ciclismo e esqui cross-country).

Destes, apenas cinco haviam conseguido medalhas em ambos os eventos antes de Alvarez. São eles:

  • Eddie Eagan (Estados Unidos): 1 ouro no boxe (Antuérpia-1920) e 1 ouro no bobsleigh (Lake Placid-1932)

  • Jacob Tullin Thams (Noruega): 1 ouro no salto de esqui (Chamonx-1924) e 1 prata na vela (Berlim-1936)

  • Christa Luding-Rothenburger (Alemanha): 2 ouros e 1 prata na patinação velocidade (Sarajevo-1984 e Calgary-1988) e 1 prata no ciclismo (Seul-1988)

  • Clara Hughes (Canadá): 2 bronzes no ciclismo de estrada (Atlanta-1996) e 1 ouro, 1 prata e 2 bronzes na patinação velocidade (Salt Lake City-2002, Turim-2006 e Vancouver-2010)

  • Lauryn Williams (Estados Unidos): 1 ouro e 1 prata no atletismo (Atenas-2004 e Londres-2012) e 1 prata no bobsleigh (Sochi-2014)

"Não estou dizendo que sou o maior atleta da história do planeta, mas estar neste grupo de elite é algo especial", disse antes da Olimpíada o atleta, que foi porta-bandeira da delegação norte-americana na cerimônia de abertura em Tóquio.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos