Passes rápidos, técnico 'seguidor' de Bielsa e Valdívia: o que esperar do La Calera, rival do Flamengo nesta noite

Lazlo Dalfovo
·5 minuto de leitura


Embalado pela vitória na estreia da Libertadores e conquista da Taça Guanabara, o Flamengo entrará em campo nesta terça-feira, às 19h15, para enfrentar o Unión La Calera, em duelo a ser realizado no Maracanã e válido pela segunda rodada do Grupo G do torneio continental. O LANCE! aborda o que esperar da equipe chilena na encardida missão de parar o Rubro-Negro.

Unión La Calera é o novato do grupo na Liberta. Fundado em 1954 e conhecido por disputar todas as divisões do futebol local, é um clube pequeno que vem surpreendendo nos últimos anos, mas que chega ao Rio sem acumular resultados animadores: em seis jogos nesta temporada, sendo cinco pelo Chileno e um pela competição internacional, obteve apenas duas vitórias, além de empatar três vezes e perder uma - aproveitamento de 50%.

BIELSA INSPIRA O TÉCNICO

Desde fevereiro, a equipe é treinada pelo argentino Luca Marcogiuseppe, adepto da filosofia de Marcelo Bielsa, que o recrutou para ser analista de desempenho no Athletic Bilbao, em 2011/12. Bem como pensa "El Loco", o La Calera tem uma movimentação intensa e "peculiar" entre os homens da frente, gosta de ter a bola, é veloz com ela, mas não deixa de apostar nos lançamentos se o contexto lhe for conveniente - o que deve ocorrer nesta noite.

- Vejo dificuldade para o Unión La Calera vencer o Flamengo no Maracanã. Apesar de terem feito bons jogos e conquistado bons resultados contra times brasileiros, hoje é muito difícil que, dadas as diferenças econômicas, um time chileno consiga o vencer no Brasil. A única chance que vejo é de o La Calera dominar a bola e evitar transições rápidas contra a sua meta - analisou o jornalista chileno Bruno Sampieri, ao L!, emendando:

- O Unión La Calera é uma equipe que administra muito bem a bola e, há alguns anos, mantém uma linha de jogo que se baseia na submissão do rival através do domínio da posse de bola. O investimento que Christian Bragarnik (empresário influente) tem feito permite a uma equipe saltar da segunda para a primeira divisão e estar nas competições internacionais, além da luta pelo título nacional.

Andrés Vilches
Andrés Vilches

Vilches fez os dois gols do time contra o LDU, no empate em 2 a 2, pela primeira rodada do Grupo G da Libertadores (Foto: Divulgação)

OS DESTAQUES DOS ROJOS

Os grandes destaques dos "Rojos", como são conhecidos, estão no setor defensivo: o goleiro Alexis Arias e o zagueiro Santiago García. Além deles, têm também o atacante uruguaio Octavio Rivero e Andrés Vilches como artilheiros natos - e que costumam atuar lado a lado.

A figura mais conhecida do elenco, no entanto, está na meiuca: o experiente Jorge Valdívia, ex-Palmeiras e seleção chilena, de 37 anos. Mas o camisa 21 não é titular absoluto. Pelo contrário, deve iniciar a peleja de hoje no banco - assim como ocorreu na estreia da Libertadores, quando nem sequer foi acionado.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

No último jogo, realizado neste sábado, com peças poupadas por Marcogiuseppe, Valdívia foi titular em um time que atuou com um losango no meio e dois atacantes. O time perdeu para o O´Higgins por 1 a 0 na Liga.

Aliás, a Unión La Calera não vence há três partidas. Ao todo, na temporada, sofreu cinco gols e foi às redes em seis ocasiões, e está em quinto no Chileno.

Nos anos anteriores, após subir para a primeira divisão pela última vez em 2017, o La Calera conseguiu melhorar o desempenho jornada a jornada. Em 2018, terminou em sexto no campeonato local; em 2019, foi o quarto melhor colocado; e em 2020 terminou como vice-campeão.

LA CALERA CONTRA BRASILEIROS

Nas duas últimas temporadas, o La Calera disputou a Sul-Americana e aprontou contra clubes brasileiros. Em 2019, eliminou a Chapecoense na primeira fase e caiu nos pênaltis para o Atlético-MG na segunda. Ano passado, eliminou o Fluminense na primeira fase com dois empates (1 a 1 no Rio e 0 a 0 no Chile).

Um dos trunfos da equipe é o gramado sintético do Estádio Municipal Nicolás Chahuán Nazar. Que chegou a ser tema em entrevista coletiva concedida por Rogério Ceni (veja abaixo).

Unión La Calera x Fluminense - Lamentação
Unión La Calera x Fluminense - Lamentação

Sula: La Calera eliminou o Flu em 2020 (Foto: JAVIER TORRES / AFP)

A VISÃO DE ROGÉRIO CENI

O técnico do Flamengo comentou sobre o Unión La Calera logo após a conquista da Taça Guanabara, no último fim de semana. Ceni realçou, principalmente, a agilidade do time na troca de passes.

- Eu gostei bastante (do Unión La Calera). Assisti ao jogo contra a LDU. Uma equipe que, apesar do gramado sintético, faz com que a bola ganhe muito mais velocidade, é uma equipe que troca muito a bola, com sistema peculiar de jogo.

- Uma equipe que, para mim, não é surpresa, com investimento grande e que vem bem no campeonato chileno. Jogou melhor que a LDU em casa, no jogo passado. Merecia a vitória. Sofreu o empate no fim, de um cruzamento, eu não acho que tenha sido um chute. Poderia ter definido o jogo antes com uma finalização que bateu na trave e saiu. É uma equipe que eu gostei bastante. Jogadores bem técnicos, rápidos e que tocam bem a bola. Eu acho que é uma equipe que vai trazer dificuldade não só para o Flamengo, mas como já mostrou contra a LDU. E vai trazer dificuldade contra o Vélez. Vai ser uma chave mais equilibrada do que todos imaginavam - completou Rogério Ceni.

Contra a LDU, aliás, o Unión La Calera trocou 550 passes (77 a mais que o Flamengo diante do Vélez). A ver qual será a postura do novato time e se os comandados de Marcogiuseppe sustentarão a pressão para voltar ao Chile com ponto na bagagem.

MAIS SOBRE O UNIÓN LA CALERA

- Estádio: Municipal Nicolás Chahuán Nazar, em La Calera
- Participações em Libertadores: 1
- Como se classificou: 2º no Campeonato Chileno 2020