Passageiro recusa máscara durante voo e é expulso de avião pela PF

Colaboradores Yahoo Notícias
·2 minuto de leitura
Passageiro que se recusou a usar máscara é retirado de voo pela Polícia Federal em Salvador

Um voo da companhia Gol com destino a Brasília precisou retornar para o aeroporto de Salvador logo depois de decolar, no último sábado (6), porque um passageiro se recusar a utilizar máscara de proteção contra o novo coronavírus durante a viagem.

Em vídeos registrados por passageiros e compartilhados nas redes sociais, é possível ver os presentes aplaudindo a chegada de agentes da Polícia Federal entrando na aeronave para retirar o homem.

Leia também:

Em entrevista ao portal G1, o médico Juscelino Santos, um dos passageiros no voo, disse que o rapaz duvidava da eficácia da máscara.

“Com 30 minutos de voo, começou todo o mal estar. Alguns passageiros, principalmente umas senhoras idosas pediram pra ele colocar a máscara, e ele disse que não ia colocar, que era besteira, e que não tinha prova de que aquilo servia pra alguma coisa. As senhoras ficaram indignadas, uma até teve um pico hipertensivo. Um dos rapazes foi lá discutiu, e eles foram às vias de fato. Depois um outro senhor também foi às vias de fato com ele”, relatou.

Ainda de acordo com o passageiro, as aeromoças e o chefe da cabine conversaram com ele, mas mesmo assim ele não quis colocar a máscara. Com isso o comandante decidiu retornar para o aeroporto de Salvador. “A Polícia Federal chegou e ia só conduzi-lo, mas na hora que pararam ele deu um solavanco nos policiais, e aí ele tomou voz de prisão por desacato”, falou o médico.

A PF confirmou que, a pedido do comandante da aeronave, agentes da corporação retiraram o passageiro que se recusava a utilizar máscara.

Em nota ao G1, a Gol informou que o caso ocorreu no voo G3 1865 (Salvador - Brasília) e que, após o desembarque do passageiro, “o restante dos clientes seguiu viagem normalmente, pousando com segurança no Aeroporto de Brasília”. A empresa também afirmou que o uso de máscaras é uma questão de segurança coletiva, sendo “obrigatório para todos, com raras exceções”.

Com o problema, o avião só pousou em Brasília às 10h10, duas horas depois do previsto.