Parto em pleno 'Big Brother'? As curiosidades do reality pelo mundo

Redação Notícias
·1 minuto de leitura

Você sabia que o Big Brother Brasil não é um programa original da Rede Globo? E que já teve até parto em outros países? Então vem comigo e sem medo de ser cancelado.

O Big Brother já foi produzido por 75 países dos cinco continentes. Bom para seu criador, o holandês John de Mol, que começou a brincadeira em 1999 e seis anos depois já era um bilionário de capa da Forbes.

Já teve até reality continental. A edição africana teve oito edições e reuniu participantes de 14 países. O mesmo aconteceu na Europa, quando a Suécia e a Noruega se juntaram para fazer duas edições do Big Brother Escandinavo, e em 2005 entre Chile, Equador e Peru, conhecido como Gran Hermano del Pacifico.

A Arábia Saudita tentou entrar no jogo, mas uma série de protestos tirou o programa do ar, por ser considerado ofensivo ao islã. Compreensível, vai....

A edição mais longa aconteceu na Alemanha. Os 59 brothers ficaram nada menos que 1 ano confinados entre 2004 e 2005. O vencedor, Sascha Sirtl, participou novamente numa edição menor três anos depois e é o recordista com 485 dias de confinamento.

Algo impensável para as irmãs Emma e Victoria do Big Brother britânico, que tentaram fugir da casa. Elas chegaram a invadir os bastidores, mas foram capturadas pelos seguranças.

Em 2005, na Holanda, a casa ficou mais cheia durante o programa. Isso porque uma “sister” deu à luz a um bebê. O Ministério de Assuntos Sociais do país proibiu a transmissão do parto ao vivo, por motivos óbvios.

Por aqui, provavelmente renderia um pico de audiência histórico.