Paris Saint-Germain é a favor de redução salarial no elenco


O presidente do Paris Saint-Germain, Nasser Al-Khelaifi, disse ser favorável a uma redução salarial imposta aos jogadores em meio a crise provocada pelo novo coronavírus. Na última segunda-feira, em conversa com representantes da liga que organiza o futebol francês, o mandatário deu o exemplo do Barcelona que tenta reduzir os impactos financeiros negativos do clube.

Os custos referentes aos salários de jogadores e staff técnico representam mais da metade do orçamento do PSG. Na temporada 2018/2019, por exemplo, enquanto o total arrecadado foi de 637 milhões de euros (quase R$ 3,5 bilhões), os custos com funcionários chegou aos 371 milhões de euros (R$ 2 bilhões).

Ainda não há certeza do que o clube fará quanto a essa questão, mas os jogadores do gigante francês seguem se preparando. Alguns em Paris, outros em seus países, como é o caso de Neymar e Thiago Silva que decidiram retornar ao Brasil. Durante a pandemia, atletas também se pronunciam para conscientizar e combater a COVID-19.





Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também