'Parceria muito mais ampla' entre Flamengo e BRB promete ser benéfica para as duas partes; entenda


Ao anunciarem o BRB como novo patrocinador master do Flamengo, nesta sexta-feira, os presidentes do banco e do clube, Paulo Henrique Costa e Rodolfo Landim, se referiram ao acerto como uma parceria muito mais ampla do que a simples exposição da marca no uniforme em troca de determinado valor. O projeto inclui, especialmente, o lançamento de um novo banco digital, de produtos e serviços direcionados aos milhões de torcedores rubro-negros.

- A parceria com o Flamengo, time com marca de força global, vai permitir ao BRB diversificar seus negócios, expandir sua base de clientes e ampliar a atuação nacional tanto na forma de presença física quanto digital - afirmou Paulo Henrique Costa, presidente do Banco de Brasília desde fevereiro de 2019.


O contrato, que precisa ser aprovado pelo Conselho Deliberativo do clube, tem validade de três anos, até junho de 2023, com opção de prorrogação por mais dois anos. Anualmente, o Flamengo receberá R$ 35 milhões, valor que poderá ser potencializado pelas ações de marketing em conjunto com o banco estatal.

O acordo ainda estabelece uma divisão de lucros igualitária entre o Banco de Brasília e o Flamengo: 50% para cada. Impulsionado pela parceria com o Fla, a expectativa é pela abertura de 1,5 milhão de contas digitais por parte do BRB, conforme publicou a coluna "Grande Angular", do jornal Metrópoles.

Os valores explicam a decisão do clube antecipar o fim da parceria em seis meses e rescindir o contrato com o Banco BS2, assumindo as cláusulas por conta disso. O acordo, que iria até dezembro de 2020 e será encerrado no próximo dia 30 de junho, rendia ao Flamengo R$ 15 milhões anuais acrescido da participação do clube na venda de produtos do BS2 - segundo uma estimativa do clube, de 2019, a arrecadação anual com o BS2 superaria os R$ 30 milhões. Os valores, contudo, são mantidos em sigilo pelas duas partes.




AS CONTRAPARTIDAS GARANTIDAS


Os torcedores do Flamengo terão acesso a um atendimento bancário em plataforma digital com produtos de identidade personalizada, programa de relacionamento e de experiências exclusivas, além de atendimento nos canais físicos. Entre as experiências, devem ser oferecidas viagens aos torcedores para acompanhar jogos do time de Jorge Jesus fora do Rio de Janeiro, por exemplo.

Por isso, a parceria também prevê a instalação de uma unidade de atendimento do BRB nas dependências do clube, com sede na Gávea, para atendimento a atletas, torcedores e os demais colaboradores do Flamengo.

Já o BRB terá direito exclusivo de pagamento da folha salarial do clube, além de preferência na contratação, por parte do Flamengo, de produtos e serviços bancários como empréstimos, cartões e seguros. Em abril, a diretoria recorreu a uma linha de crédito de R$ 40 milhões - pré-aprovada em 2019 -, para lidar com os impactos financeiros causados pela pandemia do novo coronavírus.

Por outro lado, o Flamengo terá participação nos resultados da comercialização de produtos e serviços, o que, espera-se, vai gerar aumento de receita ao clube.

O lançamento do banco digital é aguardado para o dia 15 de julho. Atualmente, o BRB tem 750 mil clientes. O desejo do banco, com a parceria, é alavancar sua carteira com o engajamento da torcida do Flamengo, a maior do Brasil, com cerca de 42 milhões de pessoas, segundo pesquisa Datafolha, junto à marca.








Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também