Parceria entre Gilberto e Pacheco funciona e vira opção a Odair no Flu


O bom desempenho do Fluminense no segundo tempo da vitória por 2 a 0 sobre o Botafogo-PB, na útlima quarta-feira, no Marcanã, se deu, em grande parte, por uma mudança no setor direito do campo. O peruano Fernando Pacheco entrou no lugar de Wellington Silva no intervalo e incendiou a partida com a dupla formada com Gilberto naquele lado do campo. Com a mexida, o lateral subiu de produção e foi determinante para a construção do resultado, com a assistência para o gol de Marcos Paulo e ao sofrer o pênalti convertido por Nenê. A dobradinha Pacheco-Gilberto se mostrou um eficiente recurso ofensivo para o técnico Odair Hellmann.

Pacheco já havia se destacado como ponta direito no clássico diante do Flamengo, em que o Tricolor perdeu por 3 a 2. Na ocasião, deu passe para o segundo gol do Fluminense, marcado por Evanilson. Quando foi titular contra o Moto Club, no entanto, não conseguiu manter o mesmo nível de atuação. Para Odair, a oscilação do peruano é parte de um período de adaptação do reforço.

No clube desde 2018, Gilberto já passou por muitas situações de altos e baixos no Tricolor. Todo esse processo garantiu ao jogador uma posição de liderança dentro do elenco. O reconhecimento da importância do camisa 2 para o grupo veio no esforço feito pelo clube para chegar a um acordo com a Fiorentina-ITA e garantir a permanência dele em 2020. O atleta teve 50% dos direitos adquiridos e assinou contrato até julho de 2022 com o time das Laranjeiras. Com Odair, tem sido titular absoluto.

O treinador gostou do que viu no Maracanã e explicou o que quis colocar em prática com a entrada de Pacheco na direita, mas fez mistério quanto a ter encontrado a formação ideal do time.

– Não sou um cara fechado. As mudanças, às vezes, são por característica por posição minha, como treinador, e da comissão técnica. Mas, muitas vezes, são por outras situações. Precisamos visualizar a equipe em outro tipo de confronto também, porque os últimos três foram com a gente no controle do jogo, tentando evitar contra-ataque e produzir, no campo do adversário. Terão momentos que nós teremos que nos defender mais, porque o adversário também vai gerar esse desconforto, essa superioridade, vide Campeonato Brasileiro. Tem muita coisa para observarmos. Por isso não posso ser definitivo nesta questão – afirmou Odair.








Nova oportunidade no domingo

A próxima oportunidade para a dupla mostrar serviço é no domingo, pela Taça Rio, contra o Resende, novamente no Maracanã. O time do interior do Estado também deve jogar fechado na defesa, em busca do contra-ataque, característica ideal apontada pelo treinador para pôr em ação a mesma formação mais ofensiva do segundo tempo contra o Botafogo-PB. Aos poucos, Odair Hellmann vai criando recursos e superando a pressão vivida após a queda precoce na Copa Sul-Americana.

Fluminense e Resende se enfrentam no próximo domingo, às 18h, no Maracanã. A partida é válida pela segunda rodada da Taça Rio.



Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também