Parceiro de treino revela: Cristiano está em grande forma mesmo com a parada

Goal.com

Cristiano Ronaldo está "muito feliz" na Juventus e "em forma" para voltar a jogar pela Juventus. Quem afirmou isso foi Filipe Gonçalves, goleiro dos juniores do Nacional da Ilha da Madeira.

Para quem não se lembra, Cristiano Ronaldo "alugou" o estádio do Nacional e pediu um goleiro para treinar durante seu período de quarentena em Portugal. O escolhido foi, justamente, Gonçalves, de apenas 18 anos. Os dois chegaram até a apostar um euro em um "deafio do travessão" e o cinco vezes vencedor da Bola de Ouro ganhou a disputa contra o goleiro.

"Ele me parecia muito feliz com sua experiência na Itália, em Turim e, em particular, em poder atuar pela Juventus", disse Gonçalves ao Tuttosport, jornal italiano. "Ele me disse várias vezes que é um clube muito grande, organizado e tem uma grande admiração pelos torcedores da Juventus".

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

O goleiro também detalhou os treinamentos que realizou com o craque português. "Os treinos duraram uma hora cada, mas Cristiano Ronaldo chegava ao estádio depois de já ter treinado em sua casa. Depois dos treinos de finalização, ele fazia exercícios técnicos e mais chutes".

Ao jornal A Bola, de Portugal, Gonçalves detalhou como foi defender os chutes do ídolo nacional. "Consegui defender alguns, dentro do possível, mas ninguém tem noção da força que ele coloca nos remates. A colocação. É uma força da natureza".

"Tanto treinava chutes livres como penaltis. Falou-me da forma como observa e estuda o goleiro antes de bater o penálti. Mas é imprevisível. Mesmo sabendo disto, defender é complicado", completou o jovem, que afirmou que outro jogador do Nacional também treinou com eles, Pedro Andrade. "Ele servia um pouco como [Miralem] Pjanic ou [Paulo] Dybala fazem".

Também ao jornal português, o jovem contou sobre a aposta que fez com Cristiano Ronaldo: "No fim de cada treino, fazíamos cinco ou dez chutes ao travessão. Apostávamos que quem perdesse pagava um euro ou cinco euros aos outros dois, foi Cristiano quem sugeriu".

"Perdi no primeiro treino. Mas nem levei dinheiro, não fazia ideia do que ia acontecer. No dia a seguir, paguei ao Ronaldo. Cheguei perto dele, dei-lhe um euro e disse: ‘O prometido é devido.’ Ele agradeceu, sorriu e disse que era um grande gesto", contou Gonçalves.

"Nesse treino chegou junto de nós com um maço de notas e deu cem euros a cada um como agradecimento. Mas o dinheiro não foi incentivo. O maior incentivo foi treinar com ele. Num dia estávamos com os nossos colegas, no outro com o melhor do mundo", completou o jovem.

Leia também