Parada de Estaduais compromete sim o calendário, mas personagens do futebol precisam botar saúde em primeiro plano

Fabio Utz
·2 minuto de leitura

O pico da pandemia de coronavírus no Brasil obriga, mais uma vez, que se tome medidas drásticas. A paralisação de atividades esportivas, o que inclui alguns Estaduais, é uma delas. E isso, sim, pode ter reflexo ali na frente.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Com o adiamento de partidas, naturalmente haverá um acúmulo de compromissos em breve, com duelos menos importantes sendo entremeados a jogos, por exemplo, de Libertadores. O planejamento, claro, fica comprometido, mas a hora é de deixar isso em segundo plano.

Vem uma segunda cepa, mil vezes pior do que a primeira. Não é o futebol. É o geral. Vamos dar um tempo para vencer essa batalha. Por favor, tomem cuidado. Fiquem em casa.Cuca, técnico do Atlético-MG

Claro que os jogadores vão ficar mais cansados, claro que o tempo para treinamentos ficará mais curto, claro que haverá menos espaço para recuperação física, claro que haverá mais risco de lesão. Mas não há nada o que posa ser feito. Sim, a perspectiva de uma temporada inteira pode ruir, mas há outra solução que não acatar as decisões de autoridades?

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Pode-se concordar ou discordar de medidas extremadas - há argumento para tudo quanto é lado. Mas, no momento em que há algo definido, cabe aos personagens do futebol mandarem mensagens positivas, de apoio, de atenção. A saúde precisa estar em primeiro lugar, mesmo que a confusão de um calendário possa se torna fator de ganho ou perda de competitividade.

Quer saber como se prevenir do coronavírus? #FiqueEmCasa e clique ​aqui.