Para evitar atrito com Maia, presidente do DEM cancela evento de apoio ao candidato Arthur Lira

João de Mari
·3 minuto de leitura
Brazil's Lower House Speaker Rodrigo Maia speaks during a key vote by the lower chamber on whether to suspend President Michel Temer and put him on trial over an alleged bribery scheme to line his pockets, in Brasilia, Brazil, Wednesday, Aug. 2, 2017. Temer appeared to have the upper-hand and is confident he can survive bribery charge vote. (AP Photo/Eraldo Peres)
Para evitar atrito com Maia, presidente do DEM cancela evento de apoio ao candidato Arthur Lira (Foto: AP Photo/Eraldo Peres)

O candidato à presidência da Câmara dos Deputados Arthur Lira (PP-AL), apadrinhado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), havia colocado na agenda desta segunda-feira (1º) o anúncio do apoio do DEM à sua candidatura. No entanto, o presidente da sigla, ACM Neto, mandou cancelar evento do partido para apoiar Lira por não quer mais problemas com o atual presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Segundo o blog da jornalista Andréia Sadi, o ato estava marcado para 9h30 desta segunda-feira (1º) e era considerado o golpe mais duro da disputa contra Maia, que não conseguiu garantir que seu próprio partido no bloco de apoio ao seu canditato, Baleia Rossi (MDB-SP).

O DEM decidiu ficar isento na disputa, em decisão que evidencia a perda de capital político do deputado que comandou a Casa por quatro anos e meio e que impõe mais um revés para o candidato Baleia Rossi. O DEM tomou a decisão de neutralidade por unanimidade após reunião realizada na noite deste domingo (31), na sede do partido, em Brasília (DF).

Leia também

Ao ser informado que o seu partido, o DEM, deixaria o bloco de Baleia Rossi (MDB-SP) na disputa pelo comando da Câmara, Maia disse neste domingo (31) que poderia abrir um processo de impeachment contra o presidente Bolsonaro.

Segundo o blog da jornalista, fontes do Planalto avaliam que a abertura do processo no último dia de gestão seria “casuísmo”.

A expectativa do presidente Bolsonaro, e de fontes do Planalto, é do arquivamento de um eventual processo por Lira, se o parlamentar for eleito nesta segunda. Maia deixa o cargo nesta segunda-feira e tem 64 pedidos de afastamento a espera de deliberação.

Eleições na Câmara e no Senado

A Câmara dos Deputados e o Senado Federal decidem, nesta segunda-feira, a composição da nova Mesa Diretora, incluindo os presidentes das duas casas legislativas. A sessão que vai decidir quem vai comandar as atividades das Casas nos próximos dois anos, também marca a volta das atividades legislativas no Congresso Nacional, após o recesso de pouco mais de um mês.

Para a vaga de presidente da Câmara, Baleia Rossi (MDB-SP), indicado pelo atual presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e Arthur Lira (PP-AL), apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro e parte do bloco de partidos chamado centrão, são os principais nomes que disputam o cargo. No Senado, a disputa se divide entre os favoritos Rodrigo Pacheco (DEM-MG) e Simon Tebet (MDB-MS).

Na Câmara dos Deputados, a sessão para eleger o novo presidente da Casa começa às 19h. O prazo final para registrar novas candidaturas é às 17h. Mais cedo, às 14h, acontece a reunião de líderes, para a escolha dos cargos da Mesa Diretora pelos partidos. Como é uma eleição disputada, a previsão é que termine somente no fim da noite.

No Senado, a eleição começa com reunião preparatória marcada para às 14h, momento em que é escolhido o presidente. Logo em seguida, o eleito toma posse e inicia uma segunda reunião preparatória para definir os outros nomes da Mesa Diretora. A expectativa é que se conheça o novo presidente da Casa no final da tarde desta segunda-feira. Já a escolha dos membros da Mesa deve ocorrer apenas no dia seguinte, por acordo político.