Papa pede que Copa do Mundo promova a fraternidade entre os países


O papa Francisco fez, nesta quarta-feira, um apelo para que a Copa do Mundo no Qatar “seja uma ocasião de encontro e harmonia entre as nações, promovendo a fraternidade e a paz entre os povos”.


- Gostaria de enviar minhas saudações aos jogadores, torcedores e espectadores que acompanham a Copa do Mundo no Qatar, vindos de vários continentes. Que este importante evento seja uma ocasião de encontro e confraternização entre as nações, promovendo a fraternidade e a paz entre os povos - disse no final da audiência geral realizada todas as quartas-feiras na Praça de São Pedro.

+ Nomes da Copa viáveis? Veja jogadores de Argentina, Equador e Uruguai que atuam na América do Sul

A escolha do Qatar como sede do Mundial tem despertado duras críticas por suas políticas internas, que restringem as liberdades individuais, os direitos trabalhistas e o respeito pelas minorias.

Diferentes ONGs internacionais, como a Anistia Internacional (AI) ou Human Rights Watch (HRW), denunciaram a situação dos direitos humanos no país árabe, com base em exaustivas investigações e numerosas fontes.


Durante sua recente viagem ao Bahrein, o pontífice defendeu que em toda a região do Golfo Pérsico "se promovam direitos e condições justas e cada vez melhores para trabalhadores, mulheres e jovens, garantindo respeito e cuidado para aqueles que sofrem maior marginalização na sociedade, tais como os que emigraram e os presos".