Palmeiras vence River na Argentina e fica perto da final da Libertadores

·3 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Palmeiras deu um passo enorme na tentativa de voltar à final da Copa Libertadores após 20 anos. A equipe alviverde derrotou o River Plate por 3 a 0, em Avellaneda, na noite de terça-feira (5), ao aproveitar os erros do rival e abrir vantagem muito confortável no confronto semifinal. A segunda partida será realizada na próxima terça (12), no Allianz Parque, em São Paulo. O time paulista poderá até perder por dois gols para avançar à decisão pela quinta vez, a primeira desde o vice-campeonato de 2000. Rony, Luiz Adriano e Viña colocaram na rede as bolas que fizeram do Palmeiras o brasileiro com mais vitórias na história da competição. Agora são 107 triunfos, contra 106 do Grêmio, que liderava a lista até o mês passado. Se proteger a vantagem, o clube disputará a final em jogo único no próximo dia 30 de janeiro, no Maracanã -sem público, confirmou a Conmebol nesta terça. Na outra semifinal, Boca Juniors e Santos começarão a duelar nesta quarta (6). No estádio Libertadores de América, o começo do jogo não deu a impressão de que seria uma jornada feliz para o Palmeiras. Sem Luan, que sentiu um problema nas costas no aquecimento e foi substituído por Empereur, o time alviverde teve muitas dificuldades para acertar seu posicionamento defensivo. Com Gabriel Menino fechando o lado direito e a dupla Danilo/Patrick de Paula tentando congestionar a região central da intermediária, os visitantes tentavam frustrar os donos da casa. O toque de bola dos argentinos, porém, superava com alguma facilidade a marcação. As chances começaram a aparecer e ser desperdiçadas. Carrascal teve a melhor delas, na entrada da pequena área, e parou em Weverton. O goleiro do outro lado não mostrou a mesma eficiência e teve a rede balançada. Aos 27 minutos, Armani se atrapalhou em cruzamento ruim de Menino e deu um carrinho desastrado. A sobra ficou com Rony, que bateu com força e contou com desvio em De La Cruz para abrir o placar. Atordoado, o River chegou a tomar o segundo, mas o gol de Gustavo Scarpa foi anulado por impedimento de Luiz Adriano. Nos momentos que antecederam o intervalo, a equipe de Gallardo voltou a se estabelecer no ataque e acertou a trave em cobrança de falta de Fernández. Na volta para a segunda etapa, o Palmeiras soube aproveitar os erros dos anfitriões para deixar a classificação à decisão muito bem encaminhada. Logo aos dois minutos, Luiz Adriano girou sobre Rojas no círculo central e avançou livre para ampliar. Os donos da casa continuaram falhando, na conclusão e na marcação. Na frente, Carrascal errou cabeceio na pequena área. Atrás, deu pontapé em Menino e foi expulso. Na cobrança de falta, aos 17, Viña marcou de cabeça. Disposto a diminuir o prejuízo, o River tentou atacar mesmo com um jogador a menos. Houve espaço para a diferença no marcador ficar ainda maior. Mas ninguém no Palmeiras deixou o estádio insatisfeito com o excelente placar. RIVER PLATE Armani; Montiel, Rojas, Pinola, Casco (Girotti); Nacho Fernández (Álvarez), Pérez (Díaz), De La Cruz, Carrascal; Suárez (Poncio), Borré. T.: Marcelo Gallardo PALMEIRAS Weverton; Marcos Rocha, Gustavo Gómez, Alan Empereur, Viña; Danilo (Zé Rafael), Patrick de Paula (Emerson Santos), Gabriel Menino, Gustavo Scarpa (Raphael Veiga); Rony (Breno Lopes), Luiz Adriano (Willian). T.: Abel Ferreira Estádio: Libertadores da América, em Buenos Aires (ARG) Juiz: Leodán González (URU) Cartões amarelos: Borré, Poncio, De La Cruz (River Plate); Gustavo Gómez, Patrick de Paula, Danilo, Emerson Santos, Abel Ferreira (Palmeiras) Cartão vermelho: Carrascal (River Plate) Gols: Rony, aos 27min do primeiro tempo, Luiz Adriano, aos 2min, e Viña, aos 16min do segundo tempo