Palmeiras vence o Grêmio e leva tetra da Copa do Brasil

BRUNO RODRIGUES
·5 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Uma grande felicidade, mas acompanhada de uma sensação de alívio. O torcedor palmeirense, porém, sabe ser melhor o alívio que acompanha a glória do que um último suspiro que apenas tem como finalidade encerrar o sofrimento. Após 79 jogos de uma temporada extremamente desgastante, o Palmeiras venceu o Grêmio neste domingo (7) por 2 a 0, no Allianz Parque, e comemorou mais um título de 2020 com a conquista da Copa do Brasil. O triunfo na capital paulista se somou à vantagem de 1 a 0 construída em Porto Alegre, há uma semana, resultado que deixou bem encaminhada a taça da competição nacional. É o quarto título do torneio para o clube, que também foi campeão em 1998, 2012 e 2015 Ao comemorarem em suas casas por conta da pandemia, os torcedores alviverdes --alguns foram às ruas se aglomerar-- só lamentam não poderem ter acompanhado de perto uma temporada tão vitoriosa, que além da Copa do Brasil, teve também o Campeonato Paulista (conquistado sobre o rival Corinthians, no Allianz Parque) e o troféu mais aguardado e especial de todos, a Copa Libertadores, diante do Santos, no Maracanã. A partir desta segunda-feira (8), ainda na ressaca de todos os sucessos do Palmeiras no último ano, o técnico Abel Ferreira poderá, enfim, pensar em 2021. O português, seus jogadores e a torcida palmeirense têm motivos para, um pouco mais descansados, pensarem na temporada seguinte como a continuação de um presente muito vitorioso. Neste domingo, com a escalação de Thaciano no lugar de Jean Pyerre, Renato buscou dar mais dinamismo ao Grêmio, que precisava descontar a vantagem construída pelo Palmeiras em Porto Alegre. Logo aos 2 minutos, os gaúchos tiveram ótima oportunidade de abrir o placar, com Pepê, mas o atacante não conseguiu desviar o cruzamento rasteiro que veio da direita. Alisson, de fora da área, e Diego Souza, de cabeça, criaram chances para os visitantes, mas que não levaram muito perigo ao gol de Weverton. Passado o ímpeto inicial dos gremistas, o Palmeiras conseguiu controlar a partida ao tomar posse da bola. A circulação de passes alviverdes abriu espaços na defesa do Grêmio, especialmente entre os volantes e zagueiros tricolores. Em contra-ataque, Rony teve boa oportunidade de abrir o placar, mas demorou para chutar e permitiu a chegada de Paulo Miranda, que travou a batida do atacante palmeirense. O time de Abel Ferreira chegou a abrir o placar, com Raphael Veiga, mas o bandeira viu posição de impedimento do atacante Rony, que estava à frente quando recebeu lançamento de Felipe Melo. Gol bem anulado e marcação confirmada pelo VAR. No início da etapa final, o Grêmio buscou novamente pressionar o Palmeiras. Em um desses ataques, contudo, voltou a oferecer espaços, e os alviverdes não perdoaram. Aos 7 minutos, Raphael Veiga iniciou contra-ataque ainda no campo de defesa e partiu em direção ao gol. O meia-atacante serviu Wesley, que dominou e, de perna esquerda, finalizou na saída de Paulo Victor para marcar. O goleiro gremista chegou a tocar na bola, mas não impediu o gol. Renato Gaúcho, aliás, optou por escalar Paulo Victor na meta gremista para as finais da Copa do Brasil. Na partida de ida, no gol de Gustavo Gómez, o camisa 1 também encostou na bola antes de ver o cabeceio do paraguaio morrer no fundo da rede. Autor do gol que colocou o Palmeiras com uma mão e meia na taça, Wesley havia perdido a final da Libertadores em razão de uma lesão no menisco do joelho esquerdo. Ficou três meses parado e voltou a entrar em campo na penúltima rodada do Campeonato Brasileiro, no empate em 1 a 1 com o Atlético-GO. Neste domingo, o camisa 47 pôde coroar a recuperação com o gol que encaminhou mais uma conquista palmeirense. "Foi um desabafo mesmo [o gol]. Quando a gente começou o mata-mata, tive a infelicidade de uma lesão, fiquei praticamente fora de quase toda a temporada. Os companheiros me ajudaram, minha família, e o clube, que sempre esteve do meu lado", disse o atacante de 21 anos em entrevista após o jogo. Título confirmado com a entrada de Gabriel Menino, um dos protagonistas do 2020 vitorioso para o clube, que trouxe intensidade do banco para manter a equipe inteira até o final do jogo. Em novo contra-ataque, Rony lançou Willian, outro que veio a campo na etapa final, que tocou para Menino bater de esquerda e fechar a vitória, aos 39 minutos. Era o frescor, a juventude e o fôlego que um Palmeiras forte, mas cansado, precisava para encerrar a temporada em grande estilo. Encerra campeão, mais uma vez. Ao final do jogo, o goleiro Weverton foi escolhido como o melhor de sua posição na competição. Já o meia Raphael Veiga, destaque da final e da campanha do título, recebeu o troféu de principal jogador do torneio. PALMEIRAS Weverton; Marcos Rocha, Gustavo Gómez, Alan Empereur e Viña; Felipe Melo, Zé Rafael (Patrick de Paula) e Raphael Veiga (Mayke); Wesley (Gabriel Menino), Rony e Luiz Adriano (Willian). Técnico: Abel Ferreira. GRÊMIO Paulo Victor; Vanderson (Victor Ferraz), Paulo Miranda, Kannemann (Churín) e Diogo Barbosa; Maicon, Matheus Henrique, Thaciano (Jean Pyerre), Alisson (Guilherme Azevedo) e Pepê (Ferreira); Diego Souza. Técnico: Renato Gaúcho FICHA TÉCNICA PALMEIRAS 2 x 0 GRÊMIO Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP) Data: 7 de março de 2021, domingo Horário: 18h (de Brasília) Árbitro: Bruno Arleu de Araújo (Fifa-RJ) Assistentes: Kleber Lúcio Gil (Fifa-SC) e Bruno Raphael Pires (Fifa-GO) Quarto Árbitro: Bráulio da Silva Machado (Fifa-SC) VAR: Igor Junio Benevenuto de Oliveira (MG) Cartões amarelos: Zé Rafael, Marcos Rocha (PAL); Paulo Miranda, Kannemann (GRE) GOL: Wesley, aos oito minutos do segundo tempo, e Gabriel Menino, aos 38 minutos do segundo tempo.