Palmeiras vence Libertad (3-0) e avança às semifinais da Libertadores

·3 minuto de leitura
Raphael Veiga (esq.) tira uma selfie com seus companheiros do Palmeiras contra a Libertad durante a partida da Libertadores disputada em São Paulo em 15 de dezembro de 2020

O invicto Palmeiras se classificou para as semifinais da Copa Libertadores ao vencer o Libertad paraguaio por 3 a 0 nesta terça-feira, em São Paulo, em jogo em que se consolidou como sério favorito ao título.

O time paulista despachou a equipe do Paraguai sem muito esforço com gols de Gustavo Scarpa (21), seu artilheiro Rony (68) e Gabriel Menino (82) no estádio Allianz Parque. Na partida de ida das quartas de final, em Assunção, houve um empate em 1 a 1.

O Libertad, comandado por Gustavo Morínigo, que terminou com dez homens devido à expulsão do lateral Iván Piris aos 64 minutos, só não sofreu mais gols graças às boas defesas do uruguaio Martín Silva.

O adversário do Palmeiras, do técnico português Abel Ferreira, que voltou à beira do gramado após se curar da covid-19, será conhecido nesta quinta-feira, quando o River Plate e o Nacional se enfrentam em Montevidéu. O time argentino venceu por 2 a 0 no jogo de ida.

- Scarpa abre o placar -

Primeiro com Vanderlei Luxemburgo e agora com Abel Ferreira, o Palmeiras tem mantido ótimas atuações que o colocam como a melhor equipe da Libertadores. O Verdão é o único time invicto, com oito vitórias e dois empates, e o que tem o melhor ataque, com 29 gols.

"Somos uma família, estamos todos pensando no mesmo objetivo, no que queremos nesta temporada", disse Rony.

O clube paulista consolidou um grupo de jogadores que mescla a experiência do paraguaio Gustavo Gómez e Weverton com o talento e ímpeto de jovens como Gabriel Veron, Gabriel Menino e Danilo.

Os desfalques e alterações parecem não ter feito a menor diferença em um time com forte poder ofensivo, que também luta pelo título do Brasileirão e da Copa do Brasil.

Scarpa fez seu primeiro gol na Libertadores em um chute de pé esquerdo aproveitando uma jogada de Rony na entrada da área.

- Palmeiras sobra no 2º tempo -

O castigo por tentar quebrar a invencibilidade do Palmeiras, que com Abel Ferreira não sofreu gols em casa, poderia ter sido maior se Silva não tivesse impedido uma cabeçada do compatriota Matías Viña após um escanteio.

Nem mesmo um artilheiro consagrado como Oscar Cardozo, que entrou no início do segundo tempo, conseguiu enterrar essa estatística.

Sem perigo em sua área, o Palmeiras manteve o controle da bola e poderia ter ampliado na cobrança de falta de Scarpa bem defendida por Silva.

Nem mesmo a saída do capitão Gómez, a pouco mais de meia hora do apito final, após uma forte pancada na cabeça, animou os 'Gumarelos'. Pelo contrário, os afundou. Piris chutou Raphael Veiga nas costas e deixou o time com dez.

A expulsão era recente quando Veron voltou a obrigar Silva a se esticar todo em dois chutes consecutivos quase à queima-roupa.

Mas o goleiro não conseguiu impedir o quarto gol de Rony na Libertadores. Ele se posicionou perto da pequena área e desviou um cruzamento de Marcos Rocha para o fundo da rede (68).

O que se seguiu foi uma série de contra-ataques. Em um deles, Menino marcou, no mano a mano com Silva, após uma assistência de Scarpa (82).

O Palmeiras avança firme às semifinais como um dos sérios favoritos. River ou Nacional têm motivos para temer.

raa/cl/aam