Palmeiras tem índice baixo de vitórias e acertos nas últimas decisões por pênaltis

LANCE!/NOSSO PALESTRA
·2 minuto de leitura


Na madrugada desta quinta-feira (15), o Palmeiras foi derrotado nos pênaltis pelo Defensa y Justicia, após derrota no tempo regulamentar por 2 a 1. Com o resultado adverso, o Verdão viu o adversário argentino conquistar a Recopa Sul-Americana no Mané Garrincha, em Brasília.

O revés nos pênaltis, porém, não é novidade para o Alviverde. Isso porque nas últimas três decisões, a equipe saiu derrotada em todas, feito que custou os títulos da Supercopa do Brasil, Recopa Sul-Americana e uma conquista de terceiro lugar no Mundial de Clubes.

Diante de Al-Alhy, Flamengo e Defensa y Justicia, o índice e acerto do Palmeiras foi de apenas 52,6%, de acordo com o site de estatísticas SofaScore. Foram 19 cobranças e apenas 10 convertidas. O aproveitamento seria ainda pior se não fossem Gustavo Gómez e Raphael Veiga, que acertaram todas as quatro chances que tiveram somados (levando em conta apenas as disputas de pênaltis, e não as cobranças durante os jogos). Sem eles, o aproveitamento seria de apenas 42,8%.

Além do baixo desempenho recente, o Palmeiras também soma apenas duas vitórias nas últimas dez disputas por penalidades. Desde a conquista da Copa do Brasil, em 2015, apenas diante do Santos, nas semifinais do Campeonato Paulista de 2018, e versus o Corinthians, na final do Paulistão de 2020, os resultados foram favoráveis ao Verdão.

Entre a maré de baixos números em cobranças de pênaltis, quem se destaca negativamente é o camisa 10, Luiz Adriano. Desde que chegou ao Palmeiras, o centroavante bateu sete vezes e converteu apenas duas, totalizando 29% de pontaria, segundo dados do SofaScore. Com os dois acertos realizados no tempo regulamentar, o experiente jogador soma duas cobranças e dois erros em disputas. A primeira delas ocorreu diante do Al-Alhy, enquanto a segunda foi contra o Defensa y Justicia.

Além dele, Rony, Felipe Melo, Luan, Danilo, Gabriel Menino, Mayke e Weverton foram os atletas a errar na negativa sequência de três derrotas seguidas nas disputas na marca da cal.