Palmeiras e Ponte fazem campanha por crianças com leucemia

Além da vaga para a final no Campeonato Paulista, a semifinal entre Palmeiras e Ponte Preta teve outra disputa sendo travada. Os jogadores entraram em campo com uma faixa com os dizeres “A vida da criança não tem preço”, que pede o fim da importação de um remédio sem benefício comprovado para tratar a leucemia linfoide aguda de crianças para brasileiras.

“É um absurdo. O governo importa este tipo de medicamento apenas porque é mais barato, mas não tem comprovação nenhuma de eficácia. Como podemos usar isso em nossas crianças? Nem na China, onde é fabricado, eles usam”, afirmou a Dra. Silvia Regina Brandalise, pontepretana com marido palmeirense, e presidente do Centro Infantil Boldrini, que organiza campanha contra a importação do medicamento.

De acordo com o Instituto, o Brasil está importando um medicamento chinês chamado LeugiNase (asparaginase), que não teve sua eficácia e segurança comprovadas por estudos clínicos. Assim, a campanha pede para que o Ministério da Saúde e o Governo Federal viabilizem e facilitem o processo de importação de outra Asparaginase, já comercializada nos países desenvolvidos.

Uma petição com esta solicitação já está aberta e pode ser acessada e assinada através do Facebook do Centro Infantil  (https://www.facebook.com/centro.infantil.boldrini) ou direto no link: http://bit.ly/2p7mu6N

Sobre o Centro Infantil Boldrini

Maior hospital especializado na América Latina, localizado em Campinas, que há 39 anos atua no cuidado a crianças e adolescentes com câncer e doenças do sangue. Atualmente, o Boldrini trata cerca de 10 mil pacientes de diversas cidades brasileiras e alguns de países da América Latina, a maioria (80%) pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Um dos centros mais avançados do país, o Boldrini reúne alta tecnologia em diagnóstico e tratamento clínico especializado, comparáveis ao Primeiro Mundo, disponibilidade de leitos e atendimento humanitário às crianças portadoras dessas doenças. www.boldrini.org.br