Palmeiras quita R$ 66mi de dívidas feitas por ex-presidentes em apenas um semestre

Galiotte pagou mais de R$ 54 milhões a Nobre, seu antecessor, desde que assumiu a presidência alviverde (Cesar Greco/Palmeiras)

Um dos clubes em melhor condição financeira no Brasil, o Palmeiras poderia estar ainda mais tranquilo se não fossem dívidas deixadas pelas gestões anteriores. Uma prova está no balancete alviverde referente aos seis primeiros meses do ano: o Verdão pagou R$ 66 milhões em pendências contraídas nas eras Paulo Nobre, Arnaldo Tirone, Luiz Gonzaga Belluzzo, Mustafá Contursi…

Os R$ 66 milhões equivalem a 88% das dívidas quitadas pelo Palmeiras durante o primeiro semestre – o presidente Maurício Galiotte despejou pouco mais de R$ 75 milhões com os débitos antigos.

O grosso foi para reduzir a pendência com o ex-presidente Paulo Nobre. No total, o antecessor de Galiotte recebeu R$ 54,5 milhões em apenas seis meses, ou algo em torno de R$ 9 milhões mensais de média. Durante seus seis anos de gestão, Nobre chegou a colocar mais de R$ 200 milhões nos cofres do clube – hoje, o débito é inferior a R$ 50 milhões.

Além das pendências com Nobre, o Verdão também teve de arcar com problemas deixados por outras administrações, como a de Mustafá Contursi. Claudecir, que defendeu o clube de 2001 a 2005, conseguiu na Justiça uma bolada de R$ 4 milhões – o acordo se deu após processo em que o volante cobrava R$ 17 milhões por ter sido dispensado antes do fim do contrato, sem receber qualquer centavo.

O Blog revelou com exclusividade o acerto entre Palmeiras e Claudecir em 22 de maio, com a confirmação do próprio jogador, aposentado desde 2011.

Apesar das quitações, o Verdão caminha para fechar 2017 com um superávit operacional folgado. Em julho, o clube registrou pelo nono mês consecutivo lucro em suas contas. O resultado na abertura do segundo semestre foi pouco superior a R$ 3 milhões, de acordo com balancete apresentado ao COF (Conselho de Orientação Fiscal).

No acumulado do ano, o Palmeiras está no azul em aproximadamente R$ 37 milhões – faturou R$ 463 mil em janeiro, R$ 3,8 milhões em fevereiro, R$ 10,2 milhões em março, R$ 6,2 milhões em abril, R$ 7 milhões em maio e R$ 6,1 milhões em junho.

Para acessar outras notícias do Blog do Jorge Nicola, clique aqui: