Palmeiras não deu chances ao Grêmio e foi campeão com justiça e naturalidade

Alexandre Praetzel
·2 minuto de leitura
Felipe Melo levanta a taça de Campeão da Copa do Brasil 2021. Foto: Ettore Chiereguini/AGIF
Felipe Melo levanta a taça de Campeão da Copa do Brasil 2021. Foto: Ettore Chiereguini/AGIF

O Palmeiras conquistou seu quarto título da Copa do Brasil com muita justiça e naturalidade. O time foi superior ao Grêmio nos 180 minutos e venceu por 2 a 0, no Allianz Parque, sem muitos sustos. A vantagem do empate não acomodou o Palmeiras, que viu o Grêmio ser insinuante nos 20 minutos iniciais, para depois controlar a partida. O primeiro tempo foi equilibrado, com poucas intervenções dos goleiros. 

Na segunda etapa, Renato não mexeu e o Grêmio voltou com a mesma postura, sem muita ofensividade. Com a obrigação de fazer um gol, o Grêmio se abriu e aí facilitou as coisas para o equilibrado Palmeiras. Num contra-ataque, Veiga puxou a jogada e serviu Wesley, que bateu no canto direito de Paulo Victor. O goleiro tricolor não conseguiu fazer uma defesa normal e falhou. Renato preteriu Vanderlei, bem melhor que Paulo Victor, mesmo que esteja em má fase. 

Na segunda etapa, Renato não mexeu e o Grêmio voltou com a mesma postura, sem muita ofensividade. Com a obrigação de fazer um gol, o Grêmio se abriu e aí facilitou as coisas para o equilibrado Palmeiras. Num contra-ataque, Veiga puxou a jogada e serviu Wesley, que bateu no canto direito de Paulo Victor. O goleiro tricolor não conseguiu fazer uma defesa normal e falhou. Renato preteriu Vanderlei, bem melhor que Paulo Victor, mesmo que esteja em má fase. 

O gol desestabilizou o Grêmio e deixou o confronto à mercê do Palmeiras. O gol da confirmação do título aconteceu em mais uma escapada, com Willian lançando Gabriel Menino, que chutou por baixo de Paulo Victor. Dois a zero para o Palmeiras, com absoluta justiça e naturalidade contra um Grêmio longe da sua tradição copeira e competitiva, no seu desempenho mais fraco em nove participações na definição do título. 

O Palmeiras passou com tranquilidade por Red Bull Bragantino e Ceará e teve dificuldades com o América-MG, nas semifinais. Por incrível que pareça, os jogos contra os mineiros foram mais complicados que a finalíssima. 

O blog destaca a segurança de Weverton, a liderança de Gómez e Felipe Melo, a experiência de Marcos Rocha e Luiz Adriano, o futebol de Veiga e a juventude de Wesley. Veiga foi o craque do torneio e Felipe Melo o nome das finais. 

Parabéns ao Palmeiras, diretoria, comissão técnica, jogadores e torcedores.