Palmeiras goleia River (3-0) em Buenos Aires na ida das semifinais da Libertadores

·4 minuto de leitura
O uruguaio Matias Vina (centro) comemora com companheiros de equipe após marcar na vitória sobre o River Plate da Argentina durante a semifinal da Copa Libertadores

O Palmeiras venceu o argentino River Plate por 3 a 0 como visitante no jogo de ida das semifinais da Copa Libertadores 2020 disputado nesta terça-feira no estádio do Independiente, em Avellaneda, zona sul de Buenos Aires.

Rony (26), Luiz Adriano (46) e Matías Viña (61) marcaram os gols do 'Verdão', que prolongou sua invencibilidade no torneio, enquanto o River encerrou a partida com dez jogadores devido à expulsão do meia colombiano Jorge Carrascal (59), por cometer uma falta dura sobre Gabriel Menino.

Com esse resultado, o Palmeiras leva uma grande vantagem para o jogo de volta que será disputado na terça-feira, dia 12 de janeiro, no Allianz Parque, em São Paulo, e pode se classificar mesmo com uma derrota por 2 a 0.

Quem vencer este confronto vai se encontrar na final do dia 30 de janeiro, no Maracanã, com o vencedor da outra semifinal, entre o argentino Boca Juniors e o Santos, que começa nesta quarta-feira também em Buenos Aires.

- Falha do River -

Como era de se esperar, foi o River quem assumiu o comando do jogo desde o início, com uma proposta dinâmica e uma busca incessante pelas laterais, com as subidas de Casco e, em maior medida, de Montiel.

Pela esquerda surgiu a primeira oportunidade para o time da casa, em um cruzamento de Matías Suárez que Carrascal tocou para o gol, mas Weverton conseguiu afastar, ajudado por Gustavo Gómez.

Logo o plano do Palmeiras foi exposto, decidido a esperar o River em seu campo e apostar nas bolas abertas para Rony e Gustavo Scarpa nas pontas para tentar aproveitar os espaços deixados pela equipe argentina.

Aos 20 minutos, Montiel voltou a atacar pela direita e cruzou para o meio da área, mas Borré não conseguiu empurrar a bola com precisão quando o colombiano estava sozinho na frente do gol.

A resposta do Palmeiras veio logo em seguida, após Gabriel Menino cruzar da direita, o goleiro Armani não se entendeu na cobertura com Robert Rojas, limpou curto e apressado, e a bola sobrou para Rony, que imediatamente procurou o canto direito e marcou, depois de um leve desvio em De la Cruz.

O River sentiu o golpe e o Palmeiras esteve perto de aumentar com um gol corretamente anulado de Gustavo Scarpa em um impedimento milimétrico. O lance foi um sinal de que o time paulista, com muito menos posse de bola, poderia ser muito mais perigoso que seu adversário.

O time local esboçou uma ligeira melhora no final do primeiro tempo, em uma jogada em que Suárez e Borré não conseguiram alcançar um cruzamento fechado e Nacho Fernández chutou no travessão em uma cobrança de falta.

- Palmeiras domina -

Mas o jogo definitivamente mudou de lado no segundo tempo, com um Palmeiras animado, inteligente e sempre atento, que percebeu todos os erros e aproveitou ao máximo cada oportunidade.

Rony mandou seu recado com um contra-ataque muito rápido que não conseguiu definir com precisão, e na jogada seguinte, Luiz Adriano escapou do meio de campo, superou a frágil marcação do paraguaio Robert Rojas e mandou para o fundo das redes por entre as pernas de Armani para aumentar o placar.

O jogo ficou ainda mais aberto, com o River que tentou reagir com uma cabeçada de Borré que Weverton afastou com muito esforço e um chute de Carrascal que passou raspando o travessão.

Frustrado, Carrascal se irritou e chutou Gabriel Menino, recebendo o cartão vermelho direto, e da falta marcada nesse lance saiu o terceiro gol do time visitante, com um bom cruzamento de pé esquerdo de Gustavo Scarpa que Matías Viña cabeceou no alto, longe do alcance de Armani.

Restava meia hora de jogo, mas tudo o que faltava foi favorável ao Palmeiras, que poderia ter aumentado no disparo cruzado de pé direito de Breno e no contra-ataque de Gabriel Menino que obrigou o goleiro do River Plate a fazer uma grande defesa.

Surpreso e intrigado, o time argentino mostrou sua pior face no momento menos propício, com uma série de erros que o Palmeiras aproveitou e fez o time argentino pagar caro. E foi assim que a equipe paulista deu um grande passo rumo à decisão.

Em caso de classificação será a quinta final de Libertadores do alviverde, que terá a chance de erguer mais uma vez o troféu que conquistou uma única vez, há quase 22 anos, em 1999.

str/cl/aam