Palmeiras e Felipe Melo são denunciados e podem perder Liberta

Felipe Melo e o Palmeiras são alvos de processo da Conmebol. Além do Verdão e do camisa 30, o Peñarol e os uruguaios Matías Mier, Nahitan Nández e Lucas Hernández, já indiciados pela Justiça uruguaia, também foram denunciados pela entidade sul-americana.

Apesar dos quatro jogadores citados no processo, apenas Felipe Melo e Míer foram citados pelo árbitro e o delegado da partida na súmula após o jogo em Montevidéu. O palmeirense, portanto, é o único atleta do Verdão que pode ser punido pelo Comitê de Disciplina da Conmebol.

“Ao final do jogo, o senhor Felipe Melo, com a camisa 30 da equipe do Palmeiras, faz um gesto supostamente de saudação em direção ao céu, gerando reação tanto de jogadores titulares como de reservas do Peñarol, na qual pode se individualizar o senhor Matías Mier, camisa 10 da equipe do Peñarol, o qual, em atitude provocativa, perseguiu o senhor Felipe Melo. Em um dado momento, ocorre uma agressão mútua entre ambos os jogadores com golpes de punho, o que motiva a reação de outros jogadores de ambas as equipes. Foi difícil identificar quem estava na confusão”, relatou o árbitro Enrique Cáceres, do Paraguai.

O relatório do delegado da partida deixa dúvida se o gesto de Felipe Melo teve como objetivo provocar os rivais, pois informa que o volante foi até o banco adversário..

“A partida transcorreu normalmente, sem incidentes, durante o tempo regulamentar e nos minutos adicionais (90+3). Ao término, o jogador de número 30 do Palmeiras, Felipe Melo, foi em direção ao banco dos jogadores do Peñarol e com um gesto de saudação ao céu provocou a reação dos adversários. Notou-se que o jogador número 10 do Peñarol, Matías Mier, começou a perseguir e provocar Felipe Melo, que reagiu com um soco no rosto do jogador do Peñarol, o que acabou gerando atos de agressão mútua e a reação entre outros jogadores da equipe local, titulares e reservas, com os da equipe visitante, além de comissão técnica e auxiliares. Foi uma confusão generalizada, na qual foi difícil identificar quem participou dela”, escreveu o delegado do jogo sobre o incidente.

Confira a sequência dos acontecimentos e as possíveis penas:

Os clubes e os atletas agora têm cerca de 10 dias para apresentar suas defesas para o Tribunal de Disciplina da Conmebol. Só então, o órgão da entidade irá se reunir para aplicar a punição aos envolvidos. No caso do clube, as possíveis penas variam entre multa de até US$ 400 mil, jogar com portões fechados, proibição de atuar em determinado estádio, obrigação de jogar em outro país e eliminação do torneio em curso e exclusão de futuras competições.

Já no caso dos atletas, as penas mais comuns vão de multa de até US$ 400 mil, suspensão por até 24 jogos ou 24 meses de competições da Conmebol, e proibição de acesso a estádios onde se disputem partidas deste torneio.

Também nesta sexta-feira, o Palmeiras enviou o advogado Leonardo Holanda para Assunção, no Paraguai, onde fica a sede da Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) para entregar pessoalmente a defesa do clube, que conta com um vídeo que mostra o início da confusão.

Confira o vídeo: